O SC Braga conquistou hoje a terceira Taça de Portugal da sua história, ao vencer o Benfica por 2-0, em jogo disputado no Estádio Cidade de Coimbra.

Um golo de Lucas Piazón, em cima do intervalo (45+3 minutos), e outro de Ricardo Horta, aos 85, bastaram para os 'arsenalistas' arrebatarem o troféu, num encontro em que a equipa de Jorge Jesus ficou reduzida a 10 logo aos 17 minutos, por cartão vermelho direto ao guarda-redes Helton Leite. Já nos últimos instantes, após enorme confusão junto à linha lateral, Lucas Piazón e Adel Taarabt também receberam ordem de expulsão.

No palmarés da prova, o SC Braga chegou aos três troféus, depois de 1966 e 2016, numa lista liderada pelo Benfica, com 26.

Jorge Jesus apostou mesmo em três centrais e lançou Morato no onze para fazer parceria com Jan Vertonghen (recuperou de problemas físicos) e Otamendi no eixo defensivo. No lado do SC Braga, Lucas Piazón substituiu Fransérgio, que está lesionado.

Depois de um arranque sem oportunidades de golo a registar, o SC Braga causou o primeiro calafrio aos 16 minutos, com Abel Ruiz a fugir à defesa encarnada e a cruzar para a pequena área, mas não havia ninguém para desviar.

Logo a seguir, Helton Leite derrubou Abel Ruiz fora da área e foi expulso, com Jorge Jesus a optar por tirar Pizzi para Vlachodimos assumir a baliza 'encarnada'. Em inferioridade numérica, o Benfica tentava sair a jogar apoiado, mas o SC Braga, sem surpresas, tomou conta do jogo.

Aos 33' André Castro rematou ao lado da baliza de Vlachodimos, depois de uma primeira ameaça de Galeno contra um defesa encarnado. A equipa minhota continuou a pressionar e aos 41' Ricardo Horta preparava-se para encostar para golo a oferta de Abel Ruiz, bem desmarcado por Al Musrati, mas Otamendi surgiu a fazer um grande corte.

Já em cima do intervalo, Julian Weigl aproveitou uma bola perdida na área bracarense para atirar à baliza de Matheus Magalhães, que afastou o perigo com uma grande defesa. Mas acabou por ser o SC Braga a chegar ao golo: após uma bola em profundidade para Abel Ruiz, Vertonghen fez o corte e a bola sobrou para Lucas Piazón, que viu Vlachodimos adiantado e fez um chapéu ao guardião grego.

A segunda parte começou com o SC Braga a carregar e Vlachodimos a negar o golo a Castro e Piazón. Aos 54' Abel Ruiz fugiu a Vertonghen, após bom passe de Galeno, mas o desvio saiu um pouco ao lado da baliza encarnada.

Na esperança de agitar o ataque, Jorge Jesus lançou em jogo Rafa, Darwin Núñez e Nuno Tavares, mas foi o SC Braga quem sempre esteve mais perto de marcar. Aos 60' Galeno fugiu pelo corredor esquerdo, mas rematou por cima na cara de Vlachodimos. Pouco depois, Ricardo Horta chegou atrasado ao cruzamento de Ricardo Esgaio.

Numa das poucas oportunidades que o Benfica dispôs, Rafa ganhou alguns ressaltos na área bracarense, mas não conseguiu o remate na cara de Matheus. Logo a seguir, Grimaldo atirou muito por cima na marcação de um livre.

Foi já na reta final da partida que o SC Braga chegou ao 2-0, deitando por terra qualquer aspiração que o Benfica ainda tivesse de conseguir outro resultado: grande recuperação de Ricardo Esgaio perante Rafa, com o lateral a tocar para Abel Ruiz, que se liberta de Vertonghen e assiste Ricardo Horta. O número 21 recebeu na esquerda da área e rematou forte para o fundo da baliza.

Os últimos instantes da partida foram vividos com alguma tensão. Adel Taarabt, de cabeça quente, atingiu Lucas Piazón na cara e no meio da confusão Eduardo, treinador de guarda-redes do SC Braga, respondeu com uma agressão ao marroquino. Os dois jogadores receberam ordem de expulsão.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.