O subintendente Costa Ramos lamentou hoje «o sentimento de impunidade» entre os adeptos de futebol, durante a apresentação do dispositivo de segurança para o jogo entre o Benfica e o FC Porto, das meias-finais da Taça de Portugal.

«Há um sentimento de impunidade, claramente. A pessoa que pratica um facto num determinado jogo e, passados três, quatro, cinco, oito dias, está no jogo entre as mesmas equipas, onde, provavelmente, vai praticar factos idênticos, claro que tem um sentimento de impunidade», disse.

Costa Ramos, subintendente do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, aludia aos adeptos detidos devido aos distúrbios no jogo do campeonato entre o Benfica e o FC Porto, disputado a 3 de Abril, que, «de certeza, estarão presentes» no encontro de quarta-feira.

«Se os adeptos fizerem o que fizeram no último policiamento, que foi desrespeitar totalmente a autoridade da polícia, agredindo fisicamente a polícia, vão existir seguramente mais detenções e a polícia vai ripostar», advertiu.

A PSP não vai aumentar o número de efectivos, mas vai «reajustar (o dispositivo de segurança) face à experiência do jogo anterior», sem limitar o acesso à zona comercial do Media Markt, local nas imediações do Estádio da Luz onde se registaram os incidentes na partida da Liga.

«Não podemos privar uma área comercial de laborar em pleno. O que posso garantir é que tomaremos todas as medidas necessárias para que não haja alteração da ordem pública», assinalou.

Para um jogo considerado «de risco elevado», para o qual são esperados entre 35 mil a 40 mil espectadores, a PSP prevê utilizar pela primeira vez cães, para despistar a entrada no recinto de artefactos pirotécnicos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.