Ao contrário de Benfica e Sporting, o FC Porto não criou obstáculos a que o jogo frente ao Vila Real para a Taça de Portugal se realizasse no Monte da Forca. A partida está marcada para a próxima sexta-feira, às 20h15 e por estes dias a agitação já é grande.

Os 'dragões' aprovaram o estado do relvado logo na primeira vistoria, mas acabaram por fazer alguns pedidos ao Vila Real: a equipa não poderia treinar no Monte da Forca até ao dia da partida - em alternativa, o plantel de Patrick Canto passou as sessões de treino para o Campus da UTAD.

Em contrapartida, o clube de Pinto da Costa comprometeu-se a tratar do relvado do Vila Real. Os responsáveis pelo Estádio do Dragão viajaram até ao Monte da Forca para cuidar do relvado e corrigir algum problema que fosse necessário.

Além disso, o FC Porto decidiu ainda abdicar da receita do encontro em troca de bilhetes para os adeptos portistas. O Vila Real tem 800 sócios e o Monte da Forca tem capacidade para 4 mil adeptos, sendo que os 'dragões' devem ter direito a 1200 lugares. Os bilhetes são colocados à venda amanhã, por valores entre os 7,5€ e os 15€.

Embora o acordo ainda não seja oficial, a informação foi confirmada pelo presidente do Vila Real, Francisco Carvalho. "A informação que tenho é que o FC Porto vai abdicar da sua percentagem", começou por dizer, citado pelo jornal 'Record'.

No entanto, o dirigente do Vila Real não tem ideia dos valores que possam estar envolvidos, mas sabe-se que este atitude dos 'dragões' pode ajudar (bastante) as finanças do clube que tem tido problemas orçamentais desde 2016. "Este vai ser o primeiro jogo da história do Vila Real a ser transmitido pela televisão e estou à espera de um milagre, porque acredito no apuramento, mas não sei qual será o valor da fatura antes das contas estarem todas apuradas", garantiu.

Depois das despesas com o relvado, existem ainda custos de iluminação e de segurança. "A empresa que vai instalar os geradores e as seis torres de luz necessárias garantiu que o Monte da Forca vai ficar com uma iluminação superior à do Chaves, mas isso tem um preço elevado e depois ainda há a questão da segurança. Normalmente o Vila Real paga 150€ de polícia nos jogos em casa, mas o critério ultrapassa-me porque é um jogo de risco e já ouvi falar num corpo de 50 polícias", explicou Francisco Carvalho.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.