O segundo mês do ano de 2021 foi, tal como havia sido o primeiro, pintado em tons de verde, como já havia sido o anterior. Pelo menos no que à I Liga diz respeito. O Sporting abriu fevereiro com um sempre saboroso triunfo no dérbi com o Benfica. Pelo meio houve o fecho do mercado e os 'leões' viraram depois a primeira volta com uma vantagem confortável na frente da classificação, fechando o mês com um precioso empate no terreno do outro rival, e mais direto perseguidor, FC Porto.

Revista do Ano: Os temas que marcaram 2021- as notícias, as reportagens, os vídeos mais vistos. Os insólitos, as frases e as imagens que fizeram furor em 2021

Um FC Porto que brilhou na Europa em fevereiro, ao derrotar a Juventus na primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões. Já Benfica e Braga não foram tão felizes e viram-se afastados das competições europeias ao perderem com Arsenal e Roma, respetivamente, nos 16 avos de final da Liga Europa.

Fevereiro trouxe mais uma boa nova aos amantes dos desportos motorizados, com a confirmação de que iria voltar a haver Grande Prémio de Fórmula 1 em Portugal em 2021, mas o mês terminou com uma notícia que deixou de luto todo o desporto português: Alfredo Quintana, guarda-redes de andebol do FC Porto e da seleção nacional, falecia depois de sofrer uma paragem cardíaca durante os treinos. Recordemos, então, o que de mais importante se passou a nível desportivo ao longo do mês.

Veja as imagens que resumem o que de mais importante se passou no mundo do desporto em janeiro de 2021

Futebol nacional

Dérbi de Alvalade sorri ao Sporting...com a polémica dos amarelos de Palhinha à mistura

Logo para o início do mês estava marcado o grande dérbi da capital. Líder da classificação, o Sporting recebia um Benfica vindo de um mês de janeiro verdadeiramente desastroso e ainda à procura de se encontrar.

Nos dias que antecederam o jogo, um tema dominou as conversas: iria João Palhinha poder atuar pelos 'leões'? O médio tinha visto um cartão amarelo no jogo anterior, frente ao Boavista, completando uma série de 5 cartões amarelos que, à partida, o afastavam do embate com as 'águias'. Mas o Sporting recorreu da amostragem desse cartão e interpôs uma providência cautelar que foi atendida. Palhinha podia ir a jogo.

Rúben Amorim acabou por nem apostar nele para a equipa titular - Palhinha viria a entrar a meio da segunda parte - mas o Sporting ganhou na mesma. O golo foi assinado por outro médio: Matheus Nunes, já no período de descontos. O Sporting alargava assim para nove os pontos de vantagem sobre o 'velho rival'. Há 70 anos que o Benfica não estava tão longe de um leão líder.

Na mesma noite, o Sporting confirmava a contratação de Paulinho, no negócio de maior destaque do mercado de transferências de Inverno em Portugal.

FC Porto empata no Jamor, deixa fortes criticas à arbitragem e Sporting vira campeonato confortavelmente na frente

Na jornada seguinte, o FC Porto, principal perseguidor do Sporting, deslocou-se aos arredores da capital para defrontar o Belenenses SAD no Jamor e ficou-se pelo nulo, vendo o clube de Alvalade fugir ainda mais no topo da tabela. O encontro, disputado no Estádio do Jamor, ficaria marcado por um lance em que o guarda-redes da casa atinge Nanu, deixando o jogador do FC Porto inanimado no relvado, tendo este mesmo de deixar o relvado de ambulância.

As imagens do choque violento que deixou Nanu inanimado
As imagens do choque violento que deixou Nanu inanimado
Ver artigo

O lance e a arbitragem desse encontro foram alvo de fortes críticas por parte dos responsáveis do FC Porto. "Hoje fomos enganados, hoje fomos roubados aqui", afirmou, revoltado, Sérgio Conceição no final do encontro (palavras que lhe viriam, mais tarde, a valer um pesado castigo), enquanto Francisco J. Marques, diretor de comunicação dos 'dragões', disse: "Um dia vão matar um jogador do FC Porto e Fábio Veríssimo vai achar que foi em legítima defesa".

Polémicas à parte, a primeira volta da I Liga 2020/21 chegava ao fim com o Sporting tranquilo na liderança, com seis pontos de vantagem sobre o FC Porto, nove sobre o Braga e 11 sobre o Benfica, que voltara a escorregar.

Braga trava Porto para o campeonato...e para a Taça

Braga e FC Porto viriam a disputar, em fevereiro, dois emotivos duelos, ambos resultando em empates. Logo a abrir a segunda volta da I Liga, os minhotos receberam os 'dragões' para a I Liga e, depois de se verem a perder por 0-2, fruto de golos de Sérgio Oliveira e Taremi, chegaram ao empate com dois golos nos cinco minutos finais da partida (assinados por Fransérgio e Nico Gaitán), numa altura em que o FC Porto jogava já reduzido a dez jogadores.os minhotos receberam os 'dragões' para a I Liga

Três dias depois, as duas equipas voltaram a encontrar-se no Minho, agora para a 1.ª mão das meias-finais da Taça de Portugal. E, novamente, o Braga iria recuperar e empatar à beira do fim depois de se ver em desvantagem. O FC Porto marcou cedo, por Taremi, mas viu-se novamente reduzido a dez (fruto de uma polémica expulsão de Luis Díaz) e depois a nove, antes de o Braga chegar ao empate praticamente no último lance do jogo, bem dentro do período de descontos, aos 90+12', por Fransérgio.

O Braga viria, depois, a espetar novo espinho no FC Porto no início de março, vencendo no Estádio do Dragão na segunda mão e garantindo o apuramento para uma final que acabaria por vencer, conquistando a Taça de Portugal.

Leão resiste no Dragão e título fica mais perto

No campeonato, tudo continuava a correr de feição ao Sporting, que em fevereiro somou cinco vitórias nos cinco primeiros jogos e chegou ao sexto, no Estádio do Dragão, a fechar o mês, com dez pontos de vantagem sobre o segundo classificado, o FC Porto.

O jogo ganhava, pois, contornos decisivos para os azuis e brancos, que contudo não se mostraram capazes de contrariar a boa organização defensiva do Sporting. O encontro terminou empatado sem golos e o conjunto de Alvalade regressava a Alvalade cada vez mais crente na conquista do tão desejado título.

O empate foi, por isso, muito festejado pelos jogadores 'verdes e brancos' no final da partida, o que levou a uma reação de Sérgio Oliveira que iria dar que falar, com o médio a afirmar que "para o Sporting, empatar aqui é como ganhar a Champions".

Futebol lá fora

Porto brilha na Champions, mas Benfica e Braga dizem adeus à Liga Europa

Fevereiro marcou o regresso das competições europeias de clubes, com três equipas portuguesas ainda em cena. Na Liga dos Campeões, a tarefa do FC Porto não se adivinhava fácil nos oitavos de final da prova, com um embate com a Juventus de Cristiano Ronaldo pela frente.

Os 'dragões', porém, surpreenderam e venceram. Marcaram bem cedo e chegaram mesmo aos dois golos de vantagem, com Taremi e Marega a facturarem, antes de verem a Juventus reduzir a desvantagem por Chiesa. Mas os 'azuis e brancos', a jogarem na condição de anfitriões, seguraram o triunfo e laçaram a base para o apuramento, que selariam depois, no início de março, em Turim.

Menos felizes foram Benfica e Sporting de Braga, nos 16 avos de final da Liga Europa. As 'águias' viram-se afastadas pelo Arsenal, depois de empatarem a primeira mão 1-1 (em casa emprestada), antes de perderem, depois, na segunda mão, fora (mas também em campo neutro) por 3-2, num jogo em que chegaram a estar a vencer por 2-1. Já o Braga caiu aos pés da Roma, então orientada por Paulo Fonseca. Duas derrotas, uma por 2-0 e outra por 3-1, ditaram o adeus europeu dos minhotos.

Bayern campeão mundial de clubes

Umas semanas antes tinha-se jogado o Mundial de Clubes de 2021, no Japão, e que terminou, uma vez mais, com o triunfo do representante europeu, desta feita o Bayern Munique.

A competição teve como motivo de interesse especial para os portugueses a participação do Palmeiras de Abel Ferreira, depois da conquista da Taça dos Libertadores, em janeiro, mas o conjunto brasileiro acabou por se ver surpreendido logo nas meias-finais pelo Tigres e acabaria mesmo por terminar no quarto lugar.

Na outra semi-final, o Bayern derrotou o Al-Ahly e marcou encontro na final com os mexicanos dos Tigres. Na final, um golo solitário de Pavard chegou para dar o título de campeão do mundo de clubes ao conjunto de Munique pela segunda vez.

Outras modalidades

Até sempre, Alfredo Quintana

A 26 de fevereiro chegava a notícia que ninguém queria ouvir: Alfredo Quintana, guarda-redes de andebol dos azuis e brancos, falecia aos 32 anos, em consequência de uma paragem cardiorrespiratória sofrida dias antes, durante um treino da sua equipa, o FC Porto.

Quintana tinha sido assistido no local do treino com o apoio de uma viatura do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e, posteriormente, transportado para o Hospital de São João, no Porto, onde ficou internado na unidade de cuidados intensivos, depois de ter sido estabilizado, até ao dia em que foi confirmada a sua morte.

Vídeo: Jogadores do FC Porto emocionam-se durante os quatro minutos de silêncio em homenagem a Quintana
Vídeo: Jogadores do FC Porto emocionam-se durante os quatro minutos de silêncio em homenagem a Quintana
Ver artigo

Nascido em Cuba, Alfredo Quintana tinha chegado a Portugal para representar o FC Porto em 2010, passando mais de dez anos ao serviço dos 'dragões, com vários títulos conquistados. Pelo meio, naturalizou-se português e começou a representar a Seleção Nacional de andebol em 2014, sendo uma das figuras de Portugal nas históricas campanhas nas fases finais do Europeu de 2020 e do Mundial de 2021.

Foram muitas as mensagens de mensagens de consternação, vindas de todos os quadrantes, após a morte de Quintana, alvo de vários tributos ao longo dos dias que se seguiram. No dia do funeral, realizado já nos primeiros dias de março, dezenas de pessoas juntaram-hoje junto ao pavilhão Dragão Arena para prestar uma última homenagem ao guarda-redes.

Regresso da Fórmula 1 confirmado

A meio de fevereiro os amantes da Fórmula 1 recebiam uma boa notícia. O 'grande circo' estava prestes a tornar oficial o regresso a Portugal, mais concretamente a Portimão, tal como havia já sucedido em 2020.

Em comunicado, a FIA revelava ter "a intenção de preencher a posição em branco do calendário, no dia 2 de maio, com uma corrida em Portugal", ressalvando ainda assim que o acordo final ainda estava sujeito ao contrato com o promotor, o qual viria, depois, a ser assinado com êxito.

Começava assim a ganhar forma em fevereiro aquela que seria a 18.ª edição do Grande Prémio de Portugal em Fórmula 1, o qual viria a ser vencido por Lewis Hamilton, que também havia já vencido a edição de 2020.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.