O município moçambicano de Quelimane assume em janeiro o título de primeira Cidade Africana do Desporto, prevendo milhares de atividades em 12 meses, mas o autarca Manuel de Araújo já pensa também no título de “capital da bicicleta” no continente.

“Para nós representa uma grande responsabilidade. Estamos muito orgulhosos deste feito, porque ser a primeira não se repete. É a primeira vez que uma cidade africana é eleita através de uma candidatura”, explicou hoje à Lusa o autarca Manuel de Araújo, após receber, em Bruxelas, o título de Cidade Africana do Desporto 2024, pela ACES Europe.

Trata-se da primeira vez que a Associação das Cidades Europeias do Desporto (ACES Europe), organização com sede em Bruxelas que conta com o apoio da Unesco e que gere estas candidaturas a nível global para promover e incentivar o desporto, atribui este título a uma cidade africana, no caso a capital da Zambézia, centro de Moçambique, com cerca de 350 mil habitantes.

“Temos um vasto programa de trabalho. Queremos começar mesmo no dia 01 de janeiro. Não vamos perder nem um minuto, nem um segundo. A estratégia que nós adotamos é que, como temos 12 meses, cada um estará focado para uma determinada modalidade desportiva”, explicou Manuel de Araújo.

“Já decidimos e janeiro vai ser o mês do atletismo. Vamos lançar a prova de São Silvestre para começar. E depois uma série de atividades ligadas ao atletismo terão lugar no mês de janeiro”, acrescentou. Seguir-se-ão “milhares” de atividades e provas direcinadas a cada modalidade todos os meses.

“Não vamos ser a capital da província da Zambézia apenas, não a capital de Moçambique, mas a capital da África do Desporto. Nós queremos primeiro promover Quelimane, mas também promover o desporto em todas as suas vertentes. Nós temos muita gente, juventude, temos muitas mulheres que gostam de praticar desporto. Então, através desta premiação, queremos de facto institucionalizar esse amor pelo desporto”, defendeu o autarca.

Para além do atletismo, o futebol, voleibol, futebol de praia ou o futebol de salão serão modalidades em destaque, mas também o ciclismo, ou não fosse Quelimane considerada a “capital da bicicleta” em Moçambique.

“Nós queremos projetar o facto de sermos agora a capital da bicicleta. Nós queremos ser a capital africana da bicicleta também. Como sabe, Manchester este ano recebeu o título de capital europeia do ciclismo [pela ACES Europe, em 2024]. Nós gostaríamos que em 2025 esse prémio fosse para Quelimane”, disse ainda Araújo.

O Parlamento Europeu, em Bruxelas, recebeu hoje a gala de prémios da ACES Europe em que mais de 50 cidades foram galardoadas, incluindo as três capitais de referência: Sófia, Bulgária, como Capital Mundial do Desporto 2024, Génova, Itália, Capital Europeia do Desporto 2024, e San Juan, Argentina, Capital Americana do Desporto 2024. Em 2023, Viana do Castelo, Portugal, foi eleita a melhor Cidade Europeia do Desporto pela ACES Europe e também foi destinguida no evento de hoje.

“Somos pioneiros, sim, estamos conscientes dessa realidade e esperamos poder cooperar e trocar experiências também com algumas cidades, com algumas câmaras portuguesas”, admitiu o autarca de Quelimane.

“Porque não enviar jovens que possam treinar e também alguns treinadores, alguns especialistas dessas câmaras que poderão vir a Quelimane no âmbito deste prémio que nos foi outorgado”, acrescentou.

O objetivo, apontou, é levar a Quelimane atletas não só da província e do resto do país, mas “também da África Austral e dos países lusófonos africanos”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.