A ex-atleta olímpica de triatlo Vanessa Fernandes e o antigo voleibolista Carlos Teixeira partilharam hoje com alunos da Escola Secundária de Alfena, em Valongo, a importância do ensino nas suas carreiras e do desporto nas suas vidas.

Carlos Teixeira, de 43 anos, que somou mais de 300 jogos pela seleção portuguesa de voleibol, é um dos rostos do projeto Sports Embassy, idealizado por Inês Caetano, ex-praticante de pentatlo moderno, e que nasce da experiência de vida de atletas profissionais que terminaram a sua carreira.

O projeto visa o apoio à integração dos atletas no mercado de trabalho, contornando o sempre dramático fim de carreira, rentabilizando as competências adquiridas ao mais alto nível competitivo, como “disciplina, rigor, força de vontade, resiliência e trabalho em equipa”.

O grande desafio da Sports Embassy, de acordo com Carlos Teixeira, “é levar o atleta a retirar da sua carreira desportiva as armas necessárias para sobreviver, inspirar-se e inspirar os outros, para aquilo que vai fazer a seguir no futuro”.

“É um tema que os atletas não gostam de falar, mas a determinada altura surge sempre a questão de como é que vamos trabalhar a nosso identidade para reinventarmo-nos e isso é muito difícil para quem não se preparou”, defendeu o ex-voleibolista.

Segundo Carlos Teixeira, o projeto visa a reconversão de carreiras e isso é algo que tem que ser pensado pelo atleta quando se encontra no auge da sua atividade, pois é nessa altura que tem que começar a preparar a sério o pós-carreira, e não no final.

“Temos responsabilidade para intervir nessa área e tudo começa com a tomada de consciência e a sensibilização dos mais novos, por forma a estarem prontos. O desporto é um agente educador que vai ser uma arma para o resto das suas vidas”, referiu.

Quando ‘cai a ficha’ da proximidade do fim da carreira profissional, e o atleta se questiona sobre o que vai fazer a seguir, o caminho a seguir não pode passar pela visão fatalista de falta de apoios, mas sim pela valorização das competências.

“A carreira desportiva é uma arma gigante e o fim é um momento que faz parte de uma coisa maior que é a vida”, defendeu Carlos Teixeira, sustentando que o atleta tem que estar preparado para esse momento durante os anos em que está no ativo.

Carlos Teixeira defende que os atletas profissionais têm que adequar as suas habilidades ao que o mercado e as empresas procuram, pois para além da parte académica é pedido “espírito de sacrifício, trabalho em equipa, gestão de ‘stress’ e trabalho por objetivos”.

Carlos Teixeira, além de um dos rostos do Sports Embassy, é agente imobiliário, atividade abraçada após o final de carreira e que foi também seguida por outros atletas, como, por exemplo, o ex-futebolista Guilherme Aguiar, do Rio Ave.

O futebolista Miguel Garcia, do Sporting, herói de Alkmaar ao apontar o golo decisivo da passagem à final da Taça UEFA (2004/05), abraçou a carreira de gestor de consultadoria de investimentos e o saltador olímpico Nuno Fernandes a de agente de mediação imobiliária.

Na Escola Secundária de Alfena, Carlos Teixeira e Vanessa Fernandes partilharam com os alunos as suas vivências e experiências na alta competição, destacando a importância do ensino nas suas vidas e no desporto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.