As surfistas Yolanda Sequeira e Teresa Bonvalot viajaram hoje rumo aos Jogos Olímpicos Tóquio2020 prontas para dar o melhor na estreia da modalidade no evento e esperam que um tufão faça ondulação no mar japonês.

As duas surfistas falaram aos jornalistas num espaço montado pelo Comité Olímpico de Portugal (COP) no aeroporto de Lisboa, dedicado ao apoio a toda a comitiva portuguesa nos Jogos, momentos antes de seguirem viagem até à capital nipónica.

“A equipa toda quer representar Portugal da melhor maneira. Estamos todos muito focados e muito juntos como equipa. Vamos lá para dar o nosso melhor, sem pressões”, assegurou Yolanda Sequeira, que representa o Clube Naval de Portimão.

Qualificada através do segundo lugar nos Jogos Mundiais de surf de 2021, em El Salvador, a algarvia não escondeu a ambição de vencer a prova disputada no Japão: “Tenho sempre esses objetivos mais altos. Se forem altos e saírem um pouco mais abaixo, ainda é um bom objetivo. Qualquer campeonato em que entro, é para ganhar”.

“É um evento muito especial. Acontece de quatro em quatro anos e o mundo todo está a ver. Tem uma audiência muito maior do que só o mundo do surf. Vai ser uma grande abertura para o surf”, considerou Yolanda Sequeira, que viveu um período de treinos “um bocadinho mais intenso”, pretendendo deixar a pressão ‘em casa’.

Em relação ao mar do país asiático, a surfista, de 23 anos, disse que as ondas “são um bocadinho mais fraquinhas e pequeninas”, mas perspetivou “ondas grandes” pela possibilidade de ocorrência de tufões, tal como a compatriota lusa Teresa Bonvalot.

“Normalmente, o mar é um pouco mais pequeno, mas, pela previsão, acho que vão dar umas boas ondas. Vem aí um tufão, o que é uma coisa boa para o Japão, pois é o que traz a ondulação. Então, na minha capa estou a levar oito pranchas, de mar pequeno, grande e normal, para não me faltar nada”, explicou a surfista de Cascais.

Teresa Bonvalot, de 22 anos, apurou-se com a terceira posição na mesma prova de El Salvador e revelou estar “super ansiosa por chegar” ao Japão, para experienciar “algo único e histórico” para o surf, num campeonato “de um calibre totalmente diferente”.

“Não sei o que esperar, é totalmente diferente dos meus outros campeonatos, mas acabamos todos por passar pela mesma coisa. É tudo novo, uma experiência nova, em que o objetivo é dar o meu máximo, chegar lá e desfrutar cada momento”, sublinhou.

Ao invés de apontar a um objetivo, a surfista do Sporting prefere ir ‘passo a passo’: “Tenho estado a treinar imenso, como no ano todo. Gosto de pensar ‘heat’ a ‘heat’, onda a onda e dar o meu máximo nestas oportunidades que vou tendo”.

Portugal vai estar representado por 92 atletas, em 17 modalidades, nos Jogos Olímpicos Tóquio2020, que vão ser disputados entre 23 de julho e 08 de agosto, depois do adiamento por um ano, devido à pandemia de covid-19.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.