Na praia de Tsurigasaki, em Chiba, a cerca de 100 quilómetros da capital nipónica, a algarvia, de 23 anos, venceu a segunda bateria da segunda ronda, com 12,23 pontos, impondo-se à francesa Pauline Ado (9,66) e à peruana Sofia Mulanovich (9,36), que também foram repescadas, e à israelita Anat Lelior (8,93) e à peruana Daniella Rosas (8,14), ambas eliminadas.

Yolanda Sequeira vai disputar o acesso aos quartos de final, e à obtenção de um diploma olímpico, frente a Johanne Defay, que foi a primeira francesa a chegar ao circuito mundial de surf e atualmente ocupa o segundo lugar da hierarquia, atrás da norte-americana Carissa Moore.

“Estou a tentar não pensar demasiado nisso [no diploma]. Mas, obviamente, é uma possibilidade para mim e para a Teresa, mas eu só quero ir para dentro de água sem preocupações. Agora, o meu objetivo é passar ‘heats’”, afirmou Yolanda Sequeira, em declarações à agência Lusa.

Depois de ter sido quarta e última classificada na quinta bateria da primeira ronda, a vice-campeã dos Jogos Mundiais de surf mudou de estratégia e passou a investir nas maiores ondas.

“Definitivamente, foi diferente! De manhã, [o mar] estava mais pequeno, estava difícil encontrar as melhores ondas. Eu estava a surfar bem, mas não apanhei as maiores. O plano para este ‘heat’ passava por surfar o mesmo, mas apanhar as melhores ondas, o que faz a diferença”, reconheceu.

Presente na estreia olímpica da modalidade, na qual Teresa Bonvalot se tornou na primeira mulher a surfar uma onda, Yolanda Sequeira reconheceu a estranheza de enfrentar quatro adversárias numa bateria.

“Acho que não [nunca tinha disputado um ‘heat’ com tantas surfistas], talvez nos regionais, há muitos anos, mas tinha de estar sempre a olhar para o painel das prioridades, porque é difícil acompanhar esse pormenor com cinco surfistas. Mas não fez muito mais diferença ter mais competidoras, foi só mesmo a questão da prioridade”, concluiu.

Na segunda-feira, além do embate de Yolanda Sequeira com Johanne Defay, previsto para as 7:36 locais (23:36 de hoje, em Lisboa), também Teresa Bonvalot disputa os oitavos de final, frente veterana brasileira Silvana Lima, de 36 anos e vice-campeã do mundo em 2008 e 2009, no sexto 'heat' da terceira ronda, previsto para segunda-feira, às 10:00 locais (02:00 em Lisboa).

A representação lusa no surf ficou desfalcada com a ausência de Frederico Morais, por estar infetado com o novo coronavírus.

As provas de surf estão calendarizadas até 01 de agosto, na praia de Tsurigasaki, em Chiba, a cerca de 100 quilómetros de Tóquio.

Todas as notícias e reportagens sobre Tóquio 2020 acompanhadas ao minuto pelo SAPO Desporto

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto