O Paraguai apurou-se, no domingo, para o torneio de futebol dos Jogos Olímpicos de Paris-2024, ao derrotar a anfitriã Venezuela por 2-0 no último dia do Pré-Olímpico Sul-Americano. Além da vitória, os paraguaios sagraram-se campeões deste torneio Sub-23.

O médio Diego Gómez de penálti (48') e o avançado Marcelo Pérez (75') marcaram os golos da seleção do técnico Carlos Jara Saguier, que há duas décadas comandava a seleção paraguaia que conquistou a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Atenas-2004.

Companheiro de Lionel Messi no Inter Miami, Gómez terminou com cinco golos neste Pré-Olímpico, dividindo a a lista dos melhores marcadores com o argentino Thiago Almada e com o uruguaio Luciano Rodríguez.

O Paraguai liderou o quadrangular final com sete pontos, seguido pela Argentina, que chegou aos cinco ao vencer o Brasil por 1-0 mais cedo.

Assim, paraguaios e argentinos ficaram com as duas vagas olímpicas que estavam em disputa. O eliminado Brasil, vencedor do ouro no Rio-2016 e em Tóquio-2020, fechou com três pontos e a Venezuela com um.

Brasil perde com Argentina e falha Paris 2024

Antes deste duelo, o Brasil tinha sido derrotado pela Argentina, falhando assim o acesso à prova em Paris. O avançado Luciano Gondou, com uma cabeçada após um cruzamento perfeito do lateral-esquerdo Valentín Barco, marcou aos 78 minutos o golo que deu o apuramento à seleção comandada pelo técnico Javier Mascherano no estádio Brígido Iriarte, em Caracas. Foi o quarto golo do atacante do Argentinos Juniors neste torneio Sub-23.

A Argentina procura agora o terceiro título do futebol masculino nos Jogos Olímpicos, depois dos conquistados em Atenas-2004 e Pequim-2008.

A aposta dos dois gigantes sul-americanos tinha um roteiro claro neste duelo de vida ou morte: a Argentina assumiu a posse da bola e o Brasil esperou para contra-atacar, procurando Mauricio e Guilherme Biro pelas laterais e Endrick mais à frente.

O técnico da seleção brasileira, Ramon Menezes, surpreendeu com a substituição de John Kennedy.

Thiago Almada, na marcação de um livre, atirou à barra de Mycael aos 15 minutos, na melhor das oportunidades no primeiro tempo.

O medo do erro era evidente: o Brasil seguia firme no plano de Ramon Menezes, embora Endrick estivesse bem marcado; a Argentina mantinha a posse de bola com Almada na frente, mas não conseguia levar nenhum perigo até a área adversária.

Logo após o intervalo, aos 48 minutos, Gondou ameaçou de cabeça.

Ramon Menezes colocou John Kennedy e Gabriel Pec para tentar ganhar força no ataque. Kennedy, aos 61 minutos, liderou um contra-ataque que finalmente foi eficaz, mas Pec falhou quando tinha tudo para marcar.

A resposta da Argentina foi contundente e no cruzamento com medida de Barco para a área, Gondou desviou para o fundo das redes.

O Brasil perdeu-se em campo com o golo e a derrota poderia ter sido até pior. Pablo Solari, num ataque puxado por Almada, colocou o guarda-redes Mycael em apuros.

Os argentinos souberam gerir o tempo, trocando a bola e interrompendo as jogadas brasileiras com faltas.

Com a partida a chegar ao fim, o nervosismo aumentou e os jogadores das duas equipas discutiram e chegaram a trocar empurrões.

A Argentina, apesar de Javier Mascherano ter sido muito questionado ao longo do torneio, estará em Paris 2024.

Já o Brasil terá que esperar pelos Jogos Olímpicos de Los Angeles-2028.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.