O presidente da Associação Portuguesa das Associações de Surdos, Pedro Costa, é o chefe da missão lusa aos Jogos Surdolímpicos, agendados para maio, e nos quais Portugal deverá ter 13 atletas, anunciou o Comité Paralímpico de Portugal (CPP).

Na apresentação, Pedro Costa, que é também vice-presidente da Federação Portuguesa de Desporto para Pessoas com Deficiência, considerou essencial que os atletas saibam “aproveitar a oportunidade de competir numa competição de grande dimensão” e apontou o objetivo principal de cada atleta “o atingir das melhores marcas pessoais”.

A 50 dias da competição, que decorrerá em Caxias do Sul, no Brasil, entre 01 e 15 de maio, o CPP reuniu atletas e treinadores para apresentação de dados fundamentais sobre a participação portuguesa na competição e painéis temáticos sobre antidopagem pela ADoP.

A missão portuguesa aos Jogos, que se destinam apenas a atletas com deficiência auditiva, que não está incluída no programa dos Jogos Paralímpicos, ainda não se encontra fechada, pois existem modalidades com o período de qualificação ainda em aberto.

De acordo com o CPP, a estimativa atual é de que Portugal esteja representado por 13 atletas de seis modalidades: atletismo, ciclismo, judo, lutas amadoras, natação e tiro.

Os Jogos Surdolímpicos Caxias do Sul2021 deverão juntar cerca de 4500 atletas de 100 países para competirem em 21 modalidades.

Portugal somará a sua oitava participação portuguesa em Jogos Surdolímpicos, competição na qual já conquistou 13 medalhas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.