Os Jogos Olímpicos Paris2024 são uma “oportunidade única” para Portugal se poder projetar a nível internacional, objetivo que José Manuel Constantino deseja potenciar na Casa de Portugal durante o evento na capital francesa.

“Queremos um espaço de apresentação de um Portugal moderno, competitivo, que se quer afirmar no espaço europeu. Aberto ao interesse dos diferentes países relativamente às suas potencialidades. Os Jogos Olímpicos são uma montra desportiva de caráter global único no mundo, pelo que à vertente desportiva queremos juntar também uma diplomática, cultural, política e económica”, resumiu o dirigente, em declarações à Lusa.

O presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP) está em Paris, juntamente com o secretário-geral, José Manuel Araújo, e o diretor comercial e de marketing, Pedro Sequeira Ribeiro, com a missão de estudar as várias possibilidades para albergar a Casa de Portugal, mantendo, para isso, reuniões com a embaixada e consulado, bem como com a comunidade empresarial nacional em terras gaulesas.

“Tem de ser um sítio que tenha características para que as marcas expositoras possam receber potenciais clientes e possam fazer ações promoção do que é o produto Portugal. E um espaço que também permita alguma presença de atletas, algum contacto com a comunicação social. Deve ter uma área de serviço comum que permita algum convívio entre quem esteja a participar e quem venha ver os Jogos”, especificou.

José Manuel Constantino assume a esperada “relação de grande proximidade” da comunidade portuguesa com a sua representação desportiva nacional nos Jogos Olímpicos, pelo que entende que “todos os detalhes” da preparação, nos mais diversos níveis, devem ser “cuidados”.

O presidente do COP está empenhado em “encontrar uma solução à altura desta responsabilidade” e confia que a comunidade empresarial partilha do mesmo entusiasmo, ajudando a Missão de Portugal no seu difícil repto de tentar melhorar Tóquio2020, onde teve o seu melhor desempenho de sempre.

O 56.º lugar final na classificação dos países contou com o ouro de Pedro Pichardo no triplo salto, disciplina em que Patrícia Mamona foi prata. Houve ainda o bronze do canoísta Fernando Pimenta em K1 1.000 metros e do judoca Jorge Fonseca em -100 kg.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.