O atleta etíope Tamiru Demisse, medalha de ouro nos 1.500 metros dos Jogos Paralímpicos Rio2016, no sábado, foi repreendido devido ao protesto que protagonizou contra o seu governo, anunciou o comité organizador da competição.

O corredor cego, de 22 anos, cruzou as mãos acima da cabeça, como se estivesse algemado, após passar a linha de chegada da prova que venceu, um gesto utilizado pelos seus compatriotas nas manifestações antigovernamentais, violentamente reprimidas na Etiópia, e por outro atleta daquele país africano, o maratonista Feyisa Lilesa, durante os Jogos Olímpicos, em agosto.

O gesto foi considerado “desajustado” pelo Comité Paralímpico Internacional (IPC), conforme declarou o seu presidente Philipe Craven: “Dissemos claramente, esta manhã, que as manifestações políticas não são aceites durante os Jogos”.

O governo etíope fez saber, no caso de Lilesa, que não seria molestado pelo seu gesto, mas o agente de Lilesa afirmou hoje, citado pela agência France Press, que “ele não voltará” ao seu país.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.