Os jogadores Alfredo Quintana, Rui Silva e João Ferraz manifestaram-se hoje surpreendidos, mas orgulhosos, com a inclusão na lista de 40 candidatos ao 'sete ideal' do Euro2020 de andebol, no qual Portugal está a ter uma participação histórica.

"Não estava à espera, nem sequer sabia que no fim da competição faziam um sete ideal. Significa que foi feito um bom trabalho e que ajudei a equipa", observou Quintana, que foi distinguido duas vezes como o jogador mais valioso, nos jogos com a Bósnia-Herzegovina e a Suécia.

A organização do Europeu, que se disputa pela primeira vez em três países (Áustria, Noruega e Suécia), anunciou hoje a lista de cinco jogadores nomeados em cada posição, num total de 40, com Quintana a ser um dos guarda-redes candidatos, Rui Silva a integrar o quinteto de melhores centrais e João Ferraz o de laterais direitos.

"Só faltava mesmo a seleção, porque a nível de clubes estamos a fazer um percurso na Europa muito bom. E mais tarde ou mais cedo a surpresa iria chegar", observou Quintana, elogiando o contributo de João Ferraz e Rui Silva, que apelidou de "o melhor central do mundo".

Como Quintana não foi o responsável pelas nomeações, Rui Silva admitiu que "sinceramente, não" contava estar entre os cinco melhores centrais, mas manifestou-se "feliz e orgulhoso", por ver o seu "trabalho reconhecido", o que tem um sabor ainda melhor quando é aliado ao "sucesso coletivo".

"Olhávamos para os adversários que defrontámos, na televisão, e ansiávamos que esse dia chegasse, defrontá-los e estar ao mesmo nível deles. Mas temos demasiado respeito por eles, por os considerarmos referências", revelou.

Se Rui Silva não reclama qualquer prémio para si, é perentório em atribuí-lo, desde já, a Quintana: "O que fez neste Europeu foi excecional. Muito daquilo que nos conseguimos deveu-se a ele e temos todos noção disso. Merecia este reconhecimento."

A equipa ideal da competição será calculada com base nos votos dos adeptos, correspondentes a 40% da valoração final, e de um painel de especialistas, que terá um peso de 60%, cabendo aos representantes da Federação Europeia de Andebol (EHF) eleger o Jogador Mais Valioso (MVP) do Euro2020.

João Ferraz também reconheceu que "não estava nada à espera" de entrar na corrida pela distinção de melhor lateral direito da prova, no dia em que a comitiva lusa chegou a Estocolmo, onde no sábado vai defrontar a Alemanha, em jogo de atribuição dos quinto e sexto lugares.

"Claro que temos equipa para ganhar à Alemanha e vamos fazer tudo para isso. Sabemos que é uma seleção extremamente forte, mas também já derrotámos seleções fortes. Viemos para aqui para dar o nosso melhor e tentar o objetivo de ficar acima dos sete primeiros", sustentou João Ferraz.

Portugal já sabe que vai melhorar o sétimo lugar alcançado em 2000, na Croácia, que era o ponto alto da participação nacional no Europeu, ao terminar no terceiro lugar do Grupo II da ronda principal, disputado na cidade sueca de Malmö, graças ao triunfo sobre a Hungria, na quarta-feira, por 34-26.

"Vamos discutir o quinto e sexto lugares", assegurou Rui Silva, um dos dois jogadores com problemas musculares entre os 18 convocados, na coxa direita, em conjunto com o pivô Alexis Borges, no braço direito.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.