A Federação de Andebol de Portugal (FAP) deliberou atribuir aos clubes um conjunto significativo de apoios diretos e indiretos, para atenuar os efeitos da pandemia de covid-19, de cerca de 600 mil euros, foi hoje anunciado.

De acordo com um comunicado divulgado pela FPA no seu sítio, “as medidas que irão beneficiar os clubes na época de 2020/21 perfazem um total de cerca de 600 mil euros” e “representam o maior esforço alguma vez realizado na modalidade”.

Os objetivos da federação, através dos apoios aos clubes, “visam a sobrevivência de muitos projetos, a manutenção do número de praticantes, promovendo o regresso, o mais rapidamente possível, à dinâmica reconhecida do andebol e interrompida de forma abrupta pela pandemia”.

Os clubes vão estar isentos do pagamento de inscrição dos atletas nos escalões de formação, beneficiarão da redução dos custos de arbitragem e das taxas de inscrição de atletas e do clube nas diversas provas, para além da manutenção dos apoios concedidos à 3.ª divisão masculina e à 2.ª divisão feminina.

A alteração dos quadros competitivos das provas, nos campeonatos da 1.ª e 2.ª divisão masculina e 1.ª divisão feminina, com a diminuição do número total de jogos e a consequente redução de custos de deslocações, organização e arbitragem, também irá ajudar os clubes.

A federação irá atribuir “um subsídio complementar aos clubes, de valor igual ao das multas aplicadas por infrações leves na época de 2019/2020”, a distribuir por todos os emblemas, e realizará “ações de formação de forma gratuita ou com um custo simbólico”.

Também o modelo competitivo nos escalões de juvenis e juniores masculinos para a época 2020/2021 foi alterado, “sendo disputados numa primeira fase a nível regional, reduzindo significativamente as deslocações e respetivos custos das provas”.

Entretanto, “foram atribuídos créditos aos clubes referentes ao valor atribuído pela EHF [Federação Europeia] relativamente à participação e cedência de atletas à seleção nacional” e “aos valores de arbitragens pagas e não efetuadas na parte final da época 2019/2020”.

A federação refere ainda que “serão processados os valores recebidos dos jogos sociais” e que “foi criada a Unidade de Saúde e Rendimento, com o objetivo de dar apoio e suporte aos treinadores dos clubes, tanto a nível de criação de documentos como de consultadoria, adaptados à realidade atual”.

“Por último, importa referir que todas as competições se iniciam no próximo mês de outubro, exceto a 1.ª divisão masculina e os ‘play-offs’ de acesso, que terão lugar em setembro”, acrescenta o comunicado divulgado pela direção da FAP.

Depois de quase dois meses de suspensão, as federações de andebol, basquetebol, patinagem e voleibol decidiram em maio dar por concluídas todas as competições nacionais seniores devido à pandemia de covid-19, sem a atribuição de campeão.

A pandemia de covid-19 já provocou quase 408 mil mortos e infetou mais de 7,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo o balanço feito pela agência francesa AFP.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.