A seleção portuguesa de andebol inicia hoje frente à Tunísia, em Montpellier, a luta pela inédita presença nos Jogos Olímpicos, num torneio que abre duas vagas para Tóquio2020 e que conta ainda com a França e a Croácia.

Após o sexto lugar no Euro2020 e o 10.º no Mundial2021, que constituíram as suas melhores posições, Portugal procura em solo francês a inédita qualificação olímpica, ensombrada pela morte de Alfredo Quintana, em 26 de fevereiro, na sequência de uma paragem cardiorrespiratória.

“Por nós e por ele” [Alfredo Quintana] é o mote partilhado pelo selecionador Paulo Pereira para o torneio pré-olímpico, no qual considera crucial um triunfo no primeiro jogo com a Tunísia, para manter em aberto o sonho de marcar presença em Tóquio2020.

Sem poder contar com o guarda-redes Humberto Gomes nem com o lateral Gilberto Duarte, por lesão, nem com o pivô Alexis Borges, ainda limitado, Paulo Pereira terá que promover alterações na seleção, mas promete a mesma determinação e compromisso que a caracterizam.

A Tunísia, que não conta com o lateral Mosbah Sanai, uma das referências do andebol magrebino, por se ter retirado da seleção recentemente, procura em Montpellier o acesso aos seus quintos Jogos Olímpicos, depois de Munique1972 (16.º), Sydney2000 (10.º), Londres2012 (8.º) e Rio2016 (12.º).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto