As obras de reposição da cobertura metálica do teto do Pavilhão Palanca Negra Gigante (Angola), danificado no princípio deste mês pela chuva e vento, tiveram início esta quinta-feira.

A última enxurrada acompanhada de ventos, que culminou com o desabamento parcial do teto, provocou ainda a queda de um mastro gigante numa das entradas do edifício.

O mau tempo provocou, igualmente, a infiltração de água na parte interior, situação que afetou o piso de jogos, bancadas, cabine de imprensa e outras áreas.

Segundo o diretor do Gabinete Provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos, Fernandes Cristóvão, as obras foram assumidas pela construtora do próprio Pavilhão, a OMATAPALO, que se prontificou em repor os danos, sem orçamento e sem prazo definidos de execução.

Fernandes Cristóvão realçou ainda que os trabalhos incluem a reabilitação das paredes danificadas devido a infiltração e fissuras.

A unidade em referência havia sido construída em 2012 e inaugurada em agosto de 2013, com o objetivo de acolher o torneio internacional Zé Dú de hóquei em patins.

Localizado no bairro Voanvolala, a cerca de seis quilómetros da cidade de Malanje, o pavilhão de três pisos comporta um parque de estacionamento para mais de 500 viaturas.

O mesmo possui quiosques, bares, duas cabines de imprensa e salas de conferências, entre outros compartimentos, incluindo uma área VIP presidencial, e ocupa uma área de 4 mil e 10 metros quadrados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.