As competições continuam-se a adaptar aos tempos de isolamento, desde torneios de FIFA para simular jornadas da I Liga, a torneios de ténis virtuais, as modalidades têm feito o quer podem para se manterem ativas de alguma forma.

O Ironman não é excepção. A prova de triatlo que nasceu em 1978 e que na vida real conta com dois níveis (o Ironman 70.3 (1,9 km de natação, 90 km de ciclismo e 21 km de corrida) até ao Ironman (3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42 km de corrida) ), recorreu ao online para manter o passo.

Numa dessas corridas virtuais, a triatleta australiana e campeã mundial da modalidade Mirinda Carfrae competia contra outras três atletas e estava bem colocada no segundo posto.

O marido de Mirinda, Timothy O'Donnell, também triatleta, resolveu motivar a esposa ao exibir alguns dos seus troféus na transmissão online. Depois de os mostrar Tomothy não viu os cabos que ligavam a bicicleta à prova, tropeçou neles e tirou a australiana de prova.

Depois de regressar à competição Mirinda explicou, de forma clara e concisa, o que se tinha passado com recurso a um cartaz onde se lia "Isto foi culpa do Tim".

Mais tarde, num post no Instagram, Mirinda voltou a abordar o assunto.

"Gostei muito de fazer parte do Ironman VR1 este fim de semana. Devo de precisar de mais uns dias para perdoar o Tim. De todas as coisas que podiam correr mal, desligar o cabo não estava no nosso radar", escreveu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.