Cátia Azevedo, com uma categórica vitória nos 400 metros, em 51,63 segundos, foi a grande figura da primeira jornada dos Campeonatos de Portugal de atletismo, que estão a decorrer na Maia.

A marca é recorde dos campeonatos e confirma a boa forma da atleta, que já está qualificada para os Jogos Olímpicos Tóquio2020.

No triplo salto masculino, a ausência de Pedro Pichardo abriu caminho à revalidação do título de Tiago Pereira, com Nelson Évora a ser distante segundo, muito longe do seu melhor, a pouco mais de um mês do que serão os quartos Jogos Olímpicos da sua carreira.

Sem adversárias a altura, Cátia Azevedo retirou mais de um segundo ao recorde dos campeonatos e triunfou com quase três segundos e meio de avanço sobre Filipa Martins, com Sofia Lavreshina a ser terceira com marca de qualificação para os Europeus de juniores.

No triplo, esperava-se mais despique, mas a ausência inesperada de Pedro Pichardo deixou o 'caminho aberto' para Tiago Pereira, vencedor com 16,23 metros.

Nelson Évora ficou-se pelos 15,93, confirmando estar ainda longe do que vale, se bem que a melhorar um metro face ao que fez há duas semanas em Espanha.

Pichardo, por mínimo atingido, Évora e Pereira, por posição no 'ranking' de apuramento para Tóquio, vão agora encontrar-se nos Jogos Olímpicos.

Mariana Machado voltou a melhorar nos 5.000 metros, correndo sem companhia na segunda parte da prova, para um recorde pessoal a 15.42,23 minutos, quarta marca nacional de sempre para uma sub-23. Segunda posicionada, Lia Lemos fez 16.08,23 e passou a oitava de sempre.

Na légua masculina, Miguel Marques esteve para não competir, por questões administrativas, já que não tinha marca de acesso. Excecionalmente autorizado a alinhar, acabou por derrotar o favorito Samuel Barata, graças a uma última volta em grande recuperação, para um recorde pessoal a 13.15,11 minutos.

Francisco Belo voltou a derrotar Tsanko Arnaudov sem problemas, no peso, chegando a 20,63 metros, contra 20,23 do seu rival.

Vitória natural de Leandro Ramos no dardo, três dias depois de ter melhorado o recorde nacional, neste mesmo estádio. Agora, ganhou com 74,76 minutos, enquanto o antigo recordista Tiago Aperta chegou a 69,37.

Há três dias, no Meeting da Maia, Irina Rodrigues derrotara pela primeira vez esta época Liliana Cá, mas hoje não houve surpresas e a recordista nacional triunfou, com 61,51 metros, contra 59,15.

O vento no estádio prejudicou fortemente tanto as provas de saltos como ainda as de velocidade, soprando desfavoravelmente tanto nas eliminatórias como nas finais de 100 metros.

Nos 100 metros masculinos estiveram ausentes três dos cinco portugueses com marcas até 10,50 segundos esta época, o que deixou o caminho totalmente aberto para Carlos Nascimento, que triunfou em 10,40.

Um pouco mais emotiva a final feminina, com a favorita Lorene Bazolo a terminar em 11,44 segundos, contra 11,52 de Arialis Martinez, com Rosalina Santos ausente.

Nota ainda para o lançamento do martelo, não pela marca do triunfo de Vânia Silva, 58,62 metros, mas pelo facto de se tratar da 20.º vitória consecutiva para a atleta, um feito sem igual neste século.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.