Mais de metade dos corredores inquiridos pelo Maratona Clube de Portugal pretendem voltar a correr em eventos como a Maratona de Lisboa ainda em 2020, apesar da pandemia de covid-19, demonstram os resultados hoje divulgados.

O inquérito, que reuniu 1.652 respostas, nota que 60% dos inquiridos "garantem pretender participar no mesmo número ou mais de provas" em relação ao que faziam antes.

O inquérito foi distribuído em junho pelo Maratona a pessoas que se tinham inscrito em provas entre outubro de 2019 e março de 2020, obtendo respostas de uma maioria de atletas masculinos (63%), contra apenas 37% de atletas femininas.

Mais de metade (55%) gostariam de o poder fazer ainda em 2020, com 45% a confiarem nas organizações para realizar eventos sem limite de participantes, com 40% a apontar um limite de dois mil corredores, enquanto 76% dizem não ver problema em participar num evento antes de surgir uma vacina para a covid-19.

Sete por cento dos inquiridos tenciona não participar em quaisquer provas no curto prazo, com quase um terço, 31%, a admitir correr menos provas.

A confiança dos inquiridos aumenta, segundo os resultados, quanto menor é a taxa de contágio e com a existência de autorização da Direção-Geral da Saúde, um fator determinante segundo as respostas.

De zero a cinco, acima de três, numa escala de importância, está um pedido da organização a participantes que adoeçam para ficar em casa, a medição de temperatura à chegada, e que se mantenha o distanciamento social nos locais de concentração.

Apenas 21% admitem correr de máscara, com 60% a considerarem esta uma medida razoável "na partida e na chegada", enquanto 19% admitem o uso de máscara "mesmo que não seja obrigatório".

O Maratona, que organiza eventos como a Maratona e a Meia Maratona de Lisboa, entre outras corridas, adiou grande parte das provas para 2021, mantendo, para já, o Grande Prémio de Natal, em 15 de dezembro, na agenda.

Para 2021 está marcada, desde já, a 30.ª Meia Maratona de Lisboa, em 09 de maio, a Corrida da Mulher, em 06 de junho, e a Maratona de Lisboa, em 17 de outubro.

Citado em comunicado, o presidente do Maratona, Carlos Moía, explica que o estudo permite "avaliar o sentimento dos corredores e perceber quais as suas preocupações", vendo nos resultados razões para otimismo, pelos portugueses terem vontade "em manterem-se ativos e com um estilo de vida saudável".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.