O velocista norte-americano Justin Gatlin, suspenso duas vezes por doping, anunciou hoje a demissão do treinador Dennis Mitchell, alegadamente apanhado a propor a produtos dopantes a falsos jornalistas, numa ‘armadilha’ montada pelo jornal britânico The Daily Telegraph.

O campeão mundial dos 100 metros em Londres2017 utilizou a rede social Instagram para afirmar que ficou “chocado e surpreso” ao saber que o treinador “teria qualquer coisa a ver com as aparentes acusações”, acrescentando que o demitiu de seguida.

Segundo o The Daily Telegraph, o treinador Dennis Mitchell e o agente desportivo Robert Wagner terão oferecido aos seus jornalistas falsas prescrições médicas com o fim de estes obterem produtos dopantes e de os introduzirem ilegalmente nos Estados Unidos, em troca de 250 mil dólares (cerca de 213ME).

Em resposta às alegações publicadas no jornal britânico, o presidente da Associação Internacional de Federações de Atletismo, Sebastian Coe, afirmou que as "alegações são extremamente graves", estando atualmente sob investigação.

Justin Gatlin é o atual campeão do mundo dos 100 metros, tendo conquistado este ano o ouro em Londres, com um tempo de 9,92 segundos, batendo o compatriota Christian Coleman (9,94) e o jamaicano Usain Bolt (9,95), que se despediu do atletismo.

No currículo, Gatlin, de 35 anos, conta ainda com o título de campeão olímpico em Atenas2004 e mais dois mundiais (100 e 200 metros, em Helsínquia2005), tendo sido punido por doping duas vezes na carreira, em 2001 e em 2006.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.