O norte-americano Joe Kovacs, com a terceira melhor marca de sempre no lançamento do peso, foi hoje em Zurique a grande figura do primeiro dia de provas da final da Liga Diamante de atletismo.

Competindo numa pista efémera instalada junto ao lago de Zurique, o duplo vice-campeão olímpico do peso sobressaiu na jornada com um 'tiro' de 23,23 metros, marca que lhe dá a liderança mundial e o deixa a apenas 14 centímetros do recordista mundial, o seu compatriota Randy Crouser, hoje largamente batido (22,74).

"Estou super feliz, tive vários ensaios perto dos 22,80 metros esta época, sentia que estava em construção esta época, é bom finalmente atingir a casa dos 23 metros", disse Kovacs, de 33 anos, após bater o seu máximo pessoal por 32 centímetros.

Melhor, só Crouser, por duas vezes, ambas em 2021: 23,37 a 18 de junho, nas seleções dos Estados Unidos, em Eugene, e 23,30, a 05 de outubro, quando se sagrou campeão olímpico em Tóquio2020.

Kovacs, que já foi duas vezes campeão mundial, em 2015 e 2019, voltou a perder para Crouser este ano, nos Mundiais de Eugene.

No peso feminino, a portuguesa Auriol Dongmo classificou-se no terceiro lugar de uma prova que fechou com a vitória da norte-americana Chase Ealey.

Ealey, atual campeã mundial, atirou a 20,19 metros, com a canadiana Sarah Mitton a chegar aos 19,56, mais 10 centímetros do que a lançadora portuguesa.

Dongmo, que este ano foi campeã mundial 'indoor' e vice-campeã europeia, conseguiu ainda uma marca de 19,37 e outras duas para lá dos 18 metros, além de dois nulos.

Em quarto lugar ficou a campeã europeia, a neerlandesa Jessica Schilder, com 19,06, à frente da jamaicana Danniel Thomas-Dodd (19,04) e da sueca Fanny Roos (18,37).

No reduzido programa, que decorreu em pleno ambiente urbano, o salto em altura consagrou o italiano Gianmarco Tamberi, campeão olímpico, vencedor com 2,34 metros, quando já chovia e trovejava em Zurique. O norte-americano JuVaughn Harrison também passou 2,34, mas com mais derrubes.

A australiana Nina Kennedy ganhou no salto com vara, ao ser a única a passar a fasquia a 4,81 metros. Sandi Morris, dos Estados Unidos, parou a 4,76.

Também se correram provas de meio-fundo - os 5.000 metros, tanto masculinos como femininos e ambos com vitórias de quenianos, na muito central Sechseläutenplatz.

Já com chuva na pista, Nicholas Kipkorir concluiu a légua em 12.59,05 minutos, deixando a 35 centésimos o sudanês Domnic Lokinyomo Lobalu.

Na corrida feminina a mais rápida foi Beatrice Chebet, recente prata dos Mundiais, creditada em 14.31,03 à frente de outra queniana, Margaret Chelimo Kipkemboi e da atual campeã do mundo, a etíope Gudaf Tsegay.

A final da Liga Diamante prossegue na quinta-feira, já no estádio Letzigrund e com a participação de mais quatro portugueses: Patrícia Mamona e Pedro Pichardo, no triplo, Liliana Cá, no disco, e Leandro Ramos, no dardo.

Muitas das grandes figuras das modalidades, como a triplista venezuelana Yulimar Rojas, o varista sueco Armand Duplantis ou o meio-fundista norueguês Jakob Ingebrigtsen, estarão em cena, motivado pelos elevados prémios: 30 mil dólares para vencedores, 12 mil dólares para segundos e sete mil dólares para terceiros.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.