O benfiquista Pedro Pichardo foi hoje segundo classificado na prova do triplo-salto do ‘meeting do Mónaco, da Liga Diamante, com 17,67 metros, enquanto o ‘leão’ Nelson Évora ficou-se pelo oitavo posto, com apenas 16,24.

O luso-cubano foi apenas batido pelo norte-americano Christian Taylor, bicampeão olímpico e mundial em título, que fez uma série impressionante acima dos 17,50 metros: 17,60, 17,86 (este com vento +2,1 m/s), 17,50 e duas vezes 17,66, no quarto e sexto ensaios, depois de prescindir do quinto.

Por seu lado, Pichardo, que havia batido o norte-americano em Doha e perdido em Lausana, começou com 17,28 metros, saltou depois 17,60 e 17,67 (com vento +2,4 m/s) ao terceiro. No quarto, fez 16,72, prescindiu do quinto e fez nulo no último.

Muito longe, ficou Nelson Évora, que fez dois saltos nulos, antes de ‘pular’ 16,24 metros (vento +1,9 m/s), ao terceiro ensaio. Prescindiu do quarto e do último e, pelo meio, fez nulo.

O ‘meeting’ do Mónaco, na pista do Estádio Luís II, ficou marcado pelo recorde mundial da queniana Beatrice Chepkoech nos 3.000 metros obstáculos, com 8.44,32 minutos, retirando mais de oito segundos aos 8.52,78 de Ruth Jabet, do Bahrain.

Numa corrida praticamente solitária, a queniana cumpriu o primeiro quilómetro em 2.55,23 minutos, e ficou sozinha na frente, passando ao segundo em 5.49,81. Acabou por bater o recorde, apenas na segunda vez que correu abaixo dos nove minutos.

Além deste recorde mundial, registaram-se quatro recordes continentais, sete melhores marcas mundiais do ano, dois recordes da Liga Diamante, seis recordes do ‘meeting’ e 14 recordes nacionais.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.