O português Pichardo, que também é campeão olímpico, esteve nos 10 pré-selecionados, contudo não integra o trio candidato ao prémio na cerimónia anual a realizar em 22 de outubro em Talin, Estónia, onde se conhecerá o sucessor do norueguês Karsten Warholm, campeão mundial e olímpico e recordista mundial dos 400 metros barreiras.

No salto à vara, Armand Duplantis melhorou os seus recordes do mundo indoor e ao ar livre, fixando o primeiro em 6,20 metros, em Belgrado, e o segundo em 6,21, nos Mundiais de Oregon, no seu quinto recorde mundial.

Nas 19 competições nas quais participou, ultrapassou a marca dos seis metros em 16 delas.

Aos 21 anos, Jakob Ingebrigtsen perdeu os 1.500 metros dos Mundiais para o britânico Jake Wightman, contudo dias depois surpreendeu ao levar o ouro nos 5.000 metros.

Posteriormente, nos Europeus de Munique, garantiu o ouro nos 1.500 e 5.000 metros, passando a somar oito títulos europeus seniores, entre o indoor e ao ar livre.

O grego Miltiadis Tentoglou, de 24 anos, destacou-se ao fazer o mais longo salto em comprimento do mundo indoor em mais de uma década, com 8,55 metros que o colocam como o sexto de todos os tempos.

Ao ar livre, após ter perdido o título mundial para o chinês Wang Jianen, em Eugene, recuperou duas semanas mais tarde o cetro europeu com o recorde dos campeonatos em 8,52 metros.

No setor feminino, a honra de suceder à holandesa Sifan Hassan, campeã olímpica em Tóquio2020 nos 5.000 e 10.000 metros e bronze nos 1.500, vai caber à corredora sua compatriota Femke Bol, especialista nos 400 metros, à saltadora em altura ucraniana Yaroslava Mahuchikh ou a belga Nafissatou Thiam que se notabiliza no heptatlo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.