Domingo, na 23.ª edição da Meia-maratona de Lisboa, procura-se o sucessor de Zerzenay Tadese, sempre com o recorde mundial como uma hipótese, incentivada pelo cheque de 50 mil euros reservado ao atleta que o venha a bater.

O eritreu Zerzenay Tadese foi a grande figura da "Meia" lisboeta nas três últimas edições: bateu o recorde mundial da distância em 2010, com 58.30 minutos - máximo que perdura -, ficou a sete segundos em 2011 e ganhou pelo terceiro ano consecutivo em 2012, embora em mais lentos 59.34.

Face a algumas baixas relativamente aos nomes inicialmente anunciados, o queniano Bernard Koech, que conseguiu 2:04.53 na recente Maratona do Dubai (em que foi quinto), surge como principal favorito, devendo destacar-se ainda o também queniano Samuel Tsegay, o eritreu Hunegnaw Mesfin e Cuthbert Nyasango, do Zimbabué.

Há um ano, o português Rui Silva foi quarto classificado, com 1:02.40, numa altura em que preparava a estreia na maratona, depois abortada devido a lesão. Novamente a escassas semanas de nova tentativa de estreia, é o principal atleta português na luta pelos lugares da frente.

No sector feminino, o grande nome é Edna Kiplagat, campeã mundial da maratona e já vencedora em Nova Iorque e Los Angeles. Recuperada da lesão no joelho que a obrigou a desistir nos Jogos Olímpicos de Londres, a atleta queniana está a preparar a maratona da capital inglesa.

É a principal favorita, tudo levando a crer que a vitória volte a ser africana: de 1999 para cá, apenas por duas vezes não ganharam atletas de África - triunfos das norte-americanas Kara Goucher em 2009 e Shalane Flanagan em 2012.

Destaque ainda para a presença da vice-campeã mundial de 5.000 metros em 2009 e 2011, a queniana Sylvia Kibet, e para a estreia na distância da russa Gulnara Galkina, recordista mundial de 3.000 metros obstáculos. Presente estará também a veterana letã Jelena Prokopcuka, enquanto Dulce Félix, segunda em 2011 e sétima em 2012, e Sara Moreira são os principais nomes nacionais capazes de boas classificações.

Este ano, os 37 mil concorrentes – número máximo permitido para a meia e mini-maratonas – esgotaram cedo as inscrições, esperando-se que seja novamente batido o recorde (6.975 concorrentes) de classificados nos 21.195 metros da prova competitiva. Exceto os primeiros planos (que partirão de Algés para não beneficiarem do declive da Ponte), todos os restantes participantes sairão da Praça da Portagem, antes do início da Ponte 25 de Abril.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.