A World Athletics aprovou hoje em congresso a extensão da exclusão da Federação Russa de Atletismo (FRA), embora o seu presidente, Sebastian Coe, tenha admitido avanços no seu processo de reabilitação.

"O relatório do grupo de trabalho destaca que desde março de 2021 a FRA fez progressos satisfatórios nos principais indicadores incluídos no plano de reabilitação”, refere Sebastian Coe, segundo a agência de notícias russa TASS.

O congresso seguiu a indicação do conselho da World Athletics, que recomendava “prolongar a exclusão da FRA” até que reúna “todas as condições” para a sua reintegração na família do atletismo.

A World Athletics, organismo que tutela o atletismo a nível internacional e que baniu a federação russa em novembro de 2015 por conluio com a prática generalizada de doping, tratará deste assunto novamente em 30 de novembro.

Em 01 de março, a World Athletics aprovou um roteiro para a reabilitação da FRA e que permitiu que 10 atletas competissem nos Jogos Olímpicos Tóquio2020, que decorreram em 2021, sem bandeira ou hino.

María Lasitskene conquistou o ouro no salto em altura e Anzelika Sídorova levou a medalha de prata no salto com vara. No Rio2016, só pôde competir a saltadora russa Daría Klíshina, que treina nos Estados Unidos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.