Uma atuação memorável do grego Giannis Antetokounmpo, autor de 50 pontos, permitiu na terça-feira aos Milwaukee Bucks baterem em casa os Phoenix Suns por 105-98 e sagrarem-se campeões da Liga Norte-americana de basquetebol (NBA) 50 anos depois.

Campeões em 1971 e ‘vice’ em 1974, os Bucks estiveram a perder a final por 2-0, mas somaram quatro triunfos consecutivos e venceram por 4-2, com o ‘34’ intratável, sendo eleito incontestavelmente o ‘Jogador Mais Valioso’ (MVP).

Giannis alcançou os 50 pontos com inacreditáveis 17 em 19 da linha de lance livre (89,5%) - ele que tinha 58,7% nos ‘play-offs’ e 68,7% na época regular -, mais 16 em 25 nos ‘tiros’ de campo, num jogo em que acrescentou 14 ressaltos, cinco desarmes de lançamento e duas assistências, em 42.26 minutos.

Com a sexta mais alta pontuação num jogo da final, o grego, MVP da época regular em 2018/19 e 2019/20, compensou o jogo menos conseguido de Khris Middleton (17 pontos, cinco ressaltos e cinco assistências) e Jrue Holiday (12 pontos, com quatro em 19 nos ‘tiros’ de campo, 11 assistências e nove ressaltos).

Bobby Portis, com 16 pontos, foi também determinante no triunfo dos Bucks, sendo o único suplente que contribuiu com pontos, enquanto Brook Lopez teve também atuação positiva, com 10 pontos e oito ressaltos, enquanto PJ Tucker trouxe defesa, como sempre.

Nos Phoenix Suns, que perderam a terceira final, em outras tantas presenças, repetindo 1976 e 1993, o base Chris Paul, que não tinha estado bem nos jogos 4 e 5, foi o melhor, liderando a equipa com 26 pontos e cinco assistências.

Os melhores aliados de Paul, a disputar a sua primeira final, foram Jae Crowder, com 15 pontos e 13 ressaltos, e os suplentes Cameron Payne, com 10 pontos, em 10.26 minutos, e Frank Kaminsky, com seis pontos, em 10.59.

Pelo contrário, Devin Booker foi uma deceção, ficando-se por 19 pontos, com oito em 22 nos ‘tiros’ de campo, incluindo um frustrante zero em sete nos ‘triplos’. Deandre Ayton, com 12 pontos, e Mikal Bridges, com sete, também tiveram nota negativa.

O jogo começou nervoso, com as duas equipas a falharem muito, mas os Bucks, que já tinham começado menos mal, estabilizaram, e liderados por Giannis (10 pontos), começaram a fugir, fechando o primeiro período já com 13 pontos à maior (29-16).

Cameron Payne conseguiu, porém, manter os Suns ‘vivos’ e, depois, veio Chris Paul controlar o jogo e, num ápice, com um parcial de 17-4, conseguiram empatar o jogo (33-33), ainda com 5.36 minutos para jogar na primeira metade.

Os forasteiros conseguiram mesmo passar para o comando, chegaram a sete de avanço (40-47) e acabaram com cinco (42-47), valendo aos locais Giannis para a diferença não ser maior.

O grego acabou bem a primeira parte e iniciou ainda melhor a segunda, carregando a equipa com constantes ataques ao cesto, que ou o faziam marcar ou sofrer faltas, desta vez com efetividade da linha de lance livre (12 em 13 ao fim de três períodos).

Os Bucks voltaram ao comando e chegaram a seis pontos à maior (77-71), a 1.55 minutos do final do terceiro período, mas os Suns acabaram melhor, empatando o jogo a 77.

O quarto parcial começou equilibrado (79-79 e 82-82), mas, com Giannis intratável, os anfitriões voltaram ao comando do marcador, que, depois de um 94-90 a 4.55 minutos do fim, começou a inclinar-se mais (98-90 e 100-92).

Os Suns ainda se colocaram a quatro pontos (100-96), mas quatro pontos consecutivos (um lançamento de campo e dois lances livres) de Khris Middleton (104-96) sentenciaram, a 44,6 segundos do fim, intercalados por mais um ‘triplo’ falhado por Booker.

A festa instalou-se no Fiserv Fórum, dentro, com 17.397 espetadores, e fora, com ainda mais em redor do pavilhão, com o resultado a ser fixado em 105-98 a 9,8 segundos do fim, com o simbólico ponto 50 de Giannis, a grande estrela da final.

Jogo no Fiserv Forum, em Milwaukee, Wisconsin.

Milwaukee Bucks – Phoenix Suns, 105-98 (4-2).

Ao intervalo: 42-47.

Sob a arbitragem de Tony Brothers, Scott Foster e Eric Lewis, as equipas alinharam e marcaram:

- Milwaukee Bucks: Jrue Holiday (12), Khris Middleton (17), PJ Tucker, Giannis Antetokounmpo (50) e Brook Lopez (10). Jogaram ainda Pat Connaughton, Bobby Portis (16) e Jeff Teague.

Treinador: Mike Budenholzer.

- Phoenix Suns: Chris Paul (26), Devin Booker (19), Mikal Bridges (7), Jae Crowder (15) e Deandre Ayton (12). Jogaram ainda Frank Kaminsky (6), Cameron Johnson (3), Cameron Payne (10) e Torrey Craig.

Treinador: Monty Williams.

Marcha do marcador: 29-16 (primeiro período), 42-47 (intervalo), 77-77 (terceiro período) e 105-98 (resultado final).

Assistência: 17.397 espetadores.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.