A basquetebolista Joana Soeiro e a andebolista Adriana Lage são as vozes da ambição europeia do Benfica, com as capitãs ‘encarnadas’ a projetarem a vontade de êxitos naquilo que tem sido uma estreia conjunta na Europa.

Para o basquetebol benfiquista feminino a campanha não tem paralelo na história do clube, tratando-se de uma estreia absoluta nos palcos europeus, algo longe de atemorizar ou enfraquecer a ambição natural de Joana Soeiro.

“Estar no Benfica significa querer ser o melhor e para ser o melhor temos de competir com os melhores. O grupo tem noção do que já foi feito, estamos muito contentes, mas sempre com fome de mais, obviamente”, sublinhou hoje a capitã das ‘encarnadas’.

A base, de 27 anos, sabe que o resultado trazido de Espanha, no primeiro jogo do ‘play-off’ de acesso aos oitavos de final da EuroCup é um ‘calcanhar de Aquiles’, com uma diferença de nove pontos (derrota por 62-53), mas que considera recuperável.

“Continuar a fazer história sempre foi o nosso objetivo. Ainda que estejamos numa posição inferior em relação ao Cadi La Seu - trazemos uma derrota para casa -, mas ir buscar uma vitória de 10 pontos, mediante o jogo que fizemos lá, temos consciência que é superpossível e isso é meio caminho andado para chegar lá”, defendeu a basquetebolista.

A estreia europeia não atemorizou ou criou qualquer estigma de inferioridade no plantel – que até venceu o seu grupo na primeira fase -, e Joana Soeiro lembrou a imprevisibilidade existente na modalidade.

“Somos ‘underdogs’ [não favoritos] antes de começar a competição, a realidade é que terminámos a fase de grupos em primeiro, com apenas uma derrota, com equipas que jogam a EuroCup há anos. Quando a bola vai ao ar não há ‘underdogs’, o basquetebol é um jogo de muitos imprevistos, muitos mesmo, de todas as modalidades é capaz de ser a que tem mais ‘upsets’, como se chama no basquetebol, a equipa que é favorita perder para o ‘underdog’ acontece imenso”, justificou.

A continuidade benfiquista na EuroCup de basquetebol feminino será decidida já na quinta-feira, em jogo agendado para as 19:30 no Pavilhão da Luz, mas no andebol, que a capitã Adriana Lage também perspetivou hoje, é preciso esperar até domingo.

Depois de um empate no fim de semana a 35-35 na Turquia, diante do Antalya Konyaalti, naquele que terá sido o jogo mais competitivo que as ‘águias’ tiveram em toda a competição, Adriana Lage espera que tudo se alinhe no próximo domingo, na Luz, para um apuramento.

“Vamos alinhar as nossas forças para em casa conseguirmos a vitória, foi por muito pouco que não conseguimos lá, mas aqui temos todas as condições reunidas para conseguirmos fazer uma melhor prestação defensiva, como ofensivamente, conseguirmos a vitória e passarmos a eliminatória, que é o nosso principal objetivo”, defendeu a pivô ‘encarnada’ e capitã de equipa.

O jogo em Antália teve um peso particular nas ‘encarnadas’, não só por ser o de maior dificuldade até hoje – depois de eliminar o UHC Stockerau (primeira ronda) e RK Borac (16 avos de final) por margens relativamente alargadas -, mas também pelo próprio ambiente.

“Lá, a diferença horária e o ambiente adverso dos adeptos não foi fácil para nós, acho que aqui vamos jogar mais confortáveis, também temos a experiência de ter jogado contra elas”, sustentou a andebolista.

No domingo, no jogo com as turcas – agendado para as 15:30, mas que ainda poderá ser antecipado para as 15:00 -, Adriana Lage espera também contar com forte apoio do público benfiquista, à boleia do dérbi da I Liga de futebol com o Sporting (18:00).

“Que aproveitassem também o ambiente de dérbi (futebol) que vai estar à volta do estádio, que entrassem no pavilhão, que vissem o nosso jogo, nos apoiassem e de que gostassem, obviamente, do resultado final”, disse a jogadora, em jeito de convite aos adeptos.

O otimismo está subjacente às palavras da capitã, sabendo que o primeiro jogo deixou em todas a sensação de poderem chegar mais longe, num embate em que as ‘encarnadas’ ficaram a queixar-se de um lance em que a bola não terá entrado.

“Sentimos que não conseguimos a vitória por muito pouco, tentar mudar aqui em casa, com o nosso ambiente, adeptos e um bocadinho mais de treino, que seja possível a passagem da eliminatória”, disse ainda a jogadora.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.