LeBron James afirmou que liderar os Los Angeles Lakers até às finais da NBA depois de trêz meses dentro da "Bolha" da Liga em Orlando foi o maior desafio da sua carreira.

A superestrela de 25 anos está pronto para a sua 10.ª presença numas finais da NBA esta quarta-feira quando os Lakers defrontarem os Miami Heat numa época sem precedentes que começou há 11 meses.

A pandemia de COVID-19 obrigou à suspensão da NBA a meio de março, e a raiva relacionada com o racismo e a brutalidade policial quase levou a que James e os Lakers abandonassem a época em agosto.

James, que espera conquistar o seu quatro campeonato com a terceira equipa diferente depois das vitórias com os Miami e com Cleveland, disse esta terça-feira que esta época foi a mais difícil de todas.

"Provavelmente foi a situação mais desafiante pela qual passei enquanto profissional, no que diz respeito a comprometer-me com algo e leva-lo até ao fim", disse LeBron aos repórteres.

"Mas eu sabia onde nos vínhamos meter, mas estaria a mentir se dissesse que sabia o peso que estar na 'bolha' teria na mente e no corpo, porque foi muito complicado. Mas eu estou aqui uma uma só razão, que é lutar pelo campeonato. Foi a mentalidade que tive assim que entrei no processo de quarentena, nos dois primeiros dias. O principal era terminarmos a época e competir pelo campeonato", afirmou.

James, que em julho comparou a entrada na bolha em Orlando com começar uma pena de prisão, afirmou que perdeu a noção do tempo na Florida.

"Não sei quanto sei que dias são. Independentemente disso, parece que passaram cinco anos. Por isso não interessa muito. Nunca tive tanto tempo 'preso' na minha carreira", disse.

LeBron revelou ainda que até os Lakers deixarem Los Angeles rumo a Orlando não tinha certezas que a época seria concluída.

"Não sabia que era possível até entramos no avião para viajarmos para aqui, para Orlando. Quando aterramos, saímos do avião, seguimos de autocarro e chegamos ao hotel, ai sim, tornou-se real".

As finais deste ano colocam James contra a sua antiga equipa e contra o seu antigo treinador Erik Spoelstra. James venceu dois títulos consecutivos com os Miami Heat em 2012 e 2013, mas deixou a equipa em 2014 para regressar aos Cleveland.

James, conhecido pela sua relação por vezes tensa com Spoelstra durante o seu tempo na equipa, adianta que vencer contra os Heat não acrescenta nenhuma satisfação.

"Claro que não. Não tem um significado extra ao ganhar um campeonato, independentemente de quem seja a equipa. Já é difícil o suficiente chegar às finais, estarmos nesta posição"

"Se fores vitorioso nas finais, não interessa quem é o adversário. Estou feliz por estar aqui com a oportunidade de representar-me não só a mim mesmo, mas aos nossos fãs, à nossa equipa, aos meus colegas, à equipa técnica e tantos outros que representam esta equipa com o máximo respeito", concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.