Em declarações à Angop, o treinador disse que é imperioso que as entidades ligadas ao desporto em geral e a modalidade em particular prestem todo o seu apoio a Carlos Diniz, proporcionando-lhe um bom ambiente de trabalho para que tenha uma participação com êxito.

Sobre a série em que Angola está inserida, com a Sérvia (vice campeã mundial) e Porto Rico, reconheceu que são adversários de topo, razão pela qual será muito complicado para a seleção nacional.

Manuel Sousa Necas faz votos para que a seleção faça uma boa preparação, referindo que nessa competição (pré-olímpica) Angola, mesmo que não consiga o apuramento para os jogos olímpicos, deixe mais uma vez vincada todo um basquetebol que se vem praticando ao longo desses anos.

O novo selecionador nacional, Carlos Dinis torna-se o sexto angolano a orientar os vice campeões africanos em basquetebol sénior masculinos e o décimo em geral.

Já dirigiram a seleção angolana de basquetebol sénior masculina os técnicos angolanos Victorino Cunha, Wlademiro Romero, Alberto de Carvalho, José Carlos Guimarães e Paulo Macedo, além dos estrangeiros Mário Palma (Portugal), Luís Magalhães (Portugal), Michel Gomez (França) e Moncho Lopez (Espanha).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.