O campeonato nacional de basquetebol feminino vai receber o mesmo valor em patrocínio do que a competição masculina, o que representa “um exemplo de equidade desportiva a nível mundial”, disse hoje à Lusa o presidente da federação.

“Somos pioneiros nesta questão da equidade, com esta política proativa no desporto para alimentar a luta da igualdade de género”, salientou o presidente da Federação Portuguesa de Basquetebol (FPB), Manuel Fernandes.

A principal prova feminina de basquetebol em Portugal vai receber, durante os próximos três anos, o mesmo valor de patrocínio que a competição masculina aufere atualmente, explicou a FPB em comunicado.

“A verba, que atinge um investimento total de cerca de três milhões de euros para as duas competições – metade do valor em patrocínio e outra metade em ativações de marca -, resulta do protocolo de parceria celebrado entre a Federação Portuguesa de Basquetebol e a Betclic”, pode ler-se.

Para o dirigente, há ainda “muito para fazer” em questão de igualdade de género neste desporto, mas o acordo entre a FPB e a empresa de apostas desportivas é mais do que “um simples patrocínio”, pois “vai em busca de equilíbrio entre o patrocínio desportivo baseado na promoção do desporto como um produto de consumo, mas também como um fator de transformação social”.

“O que nós queremos é que a prática do basquetebol seja para ambos os sexos e portanto precisamos de reduzir a décalage que existe atualmente para que cada vez mais haja mais praticantes mulheres, mas também mais dirigentes, árbitras, treinadoras, pessoal da saúde, público e fãs”, sublinhou.

Sobre a décalage existente, Manuel Fernandes explicou que atualmente haverá entre 30 a 35% de praticantes femininos no basquetebol, mas que esta taxa reduz nos treinadores para 20% ou menos, no caso das competições de topo, e ainda no caso do dirigismo, onde apenas 20% de mulheres “tomam decisões em cargos superiores”.

O responsável da FPB quer que o basquetebol feminino seja “um referencial de boas práticas” e que este acordo contagie outras modalidades, acrescentando que a iniciativa partiu da empresa patrocinadora.

“É um bom exemplo quando uma empresa tem estes objetivos, sabendo que o retorno daquilo que é o investimento (…) vai ser verificado através da visibilidade que a marca adquire. Uma liga feminina tem menos impacto ainda nessa visibilidade, comparativamente com a liga masculina. Este investimento é um sinal muito positivo e naturalmente irão aparecer outras marcas preocupadas também com esta vertente”, referiu.

A liga feminina de basquetebol vai passar a designar-se Liga Betclic Feminina, à semelhança do que já acontece com a principal competição masculina.

O Benfica é o campeão nacional de basquetebol feminino em título e detentor da Taça de Portugal. O campeonato da temporada 2021/2022 arranca já este fim de semana, após as 'encarnadas' terem já conquistado a Supertaça frente ao Vitória de Guimarães.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.