A antiga glória portuguesa do basquetebol feminino Ticha Penicheiro recebeu hoje o prémio carreira no evento Liga Betclic Awards, uma modalidade que “foi amor à primeira vista” e na qual acredita que terá seguidoras.

Ticha Penicheiro, que falava imprensa à margem do evento, que decorreu no LX Factory, em Lisboa, afirmou que visa devolver ao basquetebol aquilo que o basquetebol lhe deu.

“Procuro incentivar a juventude portuguesa a jogar basquetebol. Acho que o basquetebol está a evoluir de uma maneira boa. Temos o primeiro português na NBA, o Neemias [Queta], fomos agora apuradas no 'três contra três' no Europeu feminino, fomos medalhas de prata em sub-16 femininos, estamos no bom caminho. Isso é que é importante”, salientou.

Recordando o passado, Ticha Penicheiro reconheceu que chegou mais longe que aquilo que imaginou. Referência em Portugal e 'Hall of Famer da WNBA', a ex-basquetebolista reconhece que acabou por colher as sementes que plantou com amor.

“Às vezes é um bocadinho surreal. Não joguei para ser homenageada. Jogava porque tinha amor ao basquetebol, foi amor à primeira vista desde os cinco, seis anos. A minha carreira foi o fruto das sementes todas que semeei desde o minibasquete. Depois foram-se colhendo dos frutos. Houve um bocadinho de sorte, quando fui para os Estados Unidos para a universidade a WNBA ter começado quando eu já lá estava. Olhando para trás estou satisfeita com aquilo que consegui”, admitiu.

Questionada se poderia ter uma sucessora portuguesa nos Estados Unidos, Ticha foi perentória: “porque não?”.

“Ninguém em tocou com uma varinha mágica quando eu nasci. Foi preciso muito trabalho, muito sacrifício e alguma sorte. Há talento. É preciso elas terem vontade e ter o desejo e o amor pelo basquetebol. Sempre quis ser a melhor jogadora que pudesse ser. Estava disposta a fazer todos os sacrifícios possíveis para chegar onde pudesse chegar. Cheguei mais longe que aquilo que pensei. Estou satisfeita com a minha carreira”, rematou.

Para além de Ticha Penicheiro, destaque também para o Prémio Excelência atribuído a Carlos Barroca, vice-presidente das operações da (NBA) na Ásia, e o Prémio Homenagem a Mike Plowden.

Lista dos vencedores por categorias (Feminina/Masculino):

- Assistências: Leonor Serralheiro (GDESSA Barreiro) // Francisco Amiel (Lusitânia Export);

- Roubos de Bola: Martha Burse (AD Vagos) // Tanner Omlid (Sporting CP);

- Desarmes de Lançamento: Ndioma Kane (CRC Quinta dos Lombos) // Nakye Sanders (CD Póvoa);

- Melhor Ressaltadora / Melhor Ressaltador: Trudy Walker-Benjamin (Esgueira/Aveiro/OLI) // Shaun Willet (UD Oliveirense);

- Melhor Defensora / Melhor Defensor: Márcia Costa (GDESSA Barreiro) // Tanner Omlid (Sporting CP);

- Melhor Jogadora Jovem / Jogador Jovem: Inês Ramos (Esgueira/Aveiro/OLI) // Francisco Amarante (FC Porto);

- Melhor Árbitro: Fernando Rocha e Nuno Monteiro;

- Prémio ‘Fair-play’ (Futuro Troféu Liga Betclic): Susana Carvalheira (AD Vagos) // Tomás Barroso (SL Benfica);

- Melhor Treinador: Norberto Alves (Benfica, masculino) e Eugénio Rodrigues (Benfica, feminino);

- Melhor Marcadora//Melhor Marcador: Dayna Rouse (CDE Francisco Franco) // Diego Kaplan (CD Póvoa);

- MVP: Nausia Woolfolk (Sportiva AzorisHotels) // Nakye Sanders (CD Póvoa);

- Prémio Carreira: Ticha Penicheiro;

- Prémio Excelência: Carlos Barroca;

- Prémio Homenagem: Mike Plowden.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.