Benfica e FC Porto, que se defrontam na primeira meia-final, e Sporting e Vitória de Guimarães, frente a frente na segunda, disputam quarta e quinta-feira, no Multiusos de Odivelas, a ‘final four’ da Taça de Portugal de basquetebol.

A resolução da 71.ª edição da prova, correspondente à época 2019/20, deveria ter decorrido em 21 e 22 de março, mas a pandemia da covid-19 adiou-a para o início da época 2020/21, sendo que, inicialmente, as datas eram 04 e 05 de outubro.

A covid-19 foi, uma vez mais, responsável pelo adiamento, desta vez pelo facto de o Benfica ter tido casos no plantel, o que obrigou a equipa a uma paragem entre 10 e 29 de setembro.

Caso mais nenhum contratempo aconteça, a ‘final four’ arranca às 15:00 de quarta-feira, e logo com um ‘clássico’, entre os ‘encarnados’ e os ‘azuis e brancos’, dois conjuntos que vão disputar o primeiro encontro da nova temporada.

Os ‘encarnados’, liderados por Carlos Lisboa, revolucionaram o plantel, apostando em quatro novos norte-americanos, o base Edmond ‘Tweety’ Carter, os extremos Scottie Lindsey e Caleb Walker e o poste Cameron Jackson.

Pelo contrário, saíram os compatriotas Micah Downs, Anthony Ireland, Damian Hollis, Anthony Hilliard e Gary McGhee, mais Gonçalo Delgado, sendo, que, tudo somado, os objetivos são os de sempre, os de conquistar todas as provas, a começar pela Taça.

“Dignificaremos sempre o nome do Benfica. Vamos trabalhar o melhor que sabemos e tentar recuperar os jogadores fisicamente. De qualquer forma, vamos para todos os desafios com o objetivo de ganhar. Não é por este percalço que vamos virar a cara à luta. Vamos tentar ganhar”, disse Carlos Lisboa ao sítio das ‘águias’.

O FC Porto vem com o mesmo objetivo, como explicou, logo no arranque da época, o treinador espanhol Moncho López, que comanda os ‘dragões’ desde 2009 e já renovou até 2022.

“A ambição e a exigência de ganhar todas as provas são máximas”, frisou Moncho, explicando que os ‘azuis e brancos’ trabalharam “muito para conseguir melhorar o plantel”, destacando os “ressaltos” e a “antecipação e intimidação defensiva”.

Os norte-americanos Larry Gordon, Jonathan Fairell e Eric Anderson Jr. chegaram com esse propósito, sendo que, em sentido oposto, o FC Porto despediu-se do poste sérvio Sasa Borovnjak, que partiu para os espanhóis do Palencia Baloncesto, da LEB Ouro.

Na segunda meia-final, o Sporting, de Luís Magalhães, surge como a única rodada, pela participação na qualificação, falhada, para a Liga dos Campeões. Caiu para a FIBA Europe Cup.

De novo liderado pelos norte-americanos Travante Williams e James Ellisor, que contratou em 2019/20 à Oliveirense, o conjunto ‘leonino’ adicionou John Fields, Jalen Henry e Shakir Smith, para os lugares de Abdul Abu e Ty Toney.

O Vitória de Guimarães parte, de acordo com o treinador Carlos Fechas, com “grandes ambições para a nova época” e o desejo de “ganhar em cada jogo”, sendo que o primeiro é logo um grande teste, face aos ‘leões’, líderes da Liga 2019/20 na altura da interrupção (21 vitórias e uma derrotas, em 22 jornadas).

André Bessa e os norte-americanos Alex Peacock e Jaron Hopkins são as principais novidades no conjunto minhoto, do qual saíram, entre outros, Marqueze Coleman, Jordan Nobles e Malcolm Drumwright.

O embate entre o Sporting e o Vitória está agendado para as 18:00, com o vencedor a juntar-se a Benfica ou FC Porto na final de quinta-feira, com início às 19:00.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.