Uma atuação implacável de Stephen Curry valeu na sexta-feira aos Golden State Warriors um triunfo por 107-97 no reduto dos Boston Celtics e empatar a dois a final dos ‘play-offs’ da Liga norte-americana de basquetebol (NBA).

Depois de 34 pontos no primeiro jogo, 29 no segundo e 31 no terceiro, Curry logrou o seu segundo melhor registo de sempre em finais, ao marcar 43, ficando a quatro do seu recorde, de 47, conseguido em 2019, face aos Toronto Raptors.

O ‘30’ dos Warriors, que ainda acrescentou 10 ressaltos e quatro assistências, num total de 40.41 minutos em campo, acertou 14 de 26 ‘tiros’ de campo, incluindo sete em 14 nos ‘triplos’, e oito de nove lances livres.

“Estou muito orgulhoso do nosso grupo. Finalmente, fizemos um bom quarto período. Esta vitória fora é muito importante, também porque recuperámos o fator casa. É a minha sexta final e a experiência faz-nos saber o que fazer”, afirmou Curry, lembrando, porém, que “ainda faltam duas vitórias”.

Os Warriors, que prolongaram para 27 o recorde da NBA de séries de ‘play-offs’ com triunfos fora, chegaram ao intervalo a perder por cinco pontos (54-49), mas, como é regra, venceram o terceiro, por 30-24, e entraram no último a liderar por 78-79.

No quarto parcial, sucederam-se as igualdades e as mudanças no comando, até Curry resolver o encontro, com dois ‘tiros’ seguidos, separados por mais de dois minutos, um ‘duplo’, a 3.48 do final (94-97), e um ‘triplo’, com 1.42 para jogar (94-100).

Pelo meio, os Celtics quiseram responder com ‘triplos’ e somaram falhanços atrás de falhanços, num último parcial em que se ficaram pelos 19 pontos, contra 28 dos forasteiros. Curry marcou 10 dos últimos 15 pontos do jogo.

Além do ‘30’, grande evidência nos Warriors para os 17 pontos e 16 ressaltos de Andrew Wiggings, enquanto Klay Thompson somou 18 pontos, Jordan Poole contribuiu com 14 e Kevon Looney, desta vez suplente, contabilizou seis e 11 ressaltos.

Nos anfitriões, destaque para os 23 pontos, 11 ressaltos e seis assistências de Jayson Tatum, os 21 pontos de Jaylen Brown, os 18 de Marcus Smart, os 16 de Derrick White e os sete e 12 ressaltos de Robert Williams III.

O mais equilibrado dos primeiros quatro encontros da final começou com os Celtics por cima (11-4), perante uns Warriors que nada melhoraram com a introdução no ‘cinco’ de Otto Porter Jr., por Kevon Looney, que Steve Kerr ‘corrigiu’ em cinco minutos.

A formação forasteira, liderada desde início por Curry, não demorou muito tempo a reagir e conseguiu colocar-se na frente (18-23), mas mão por muito tempo, já que os Celtics, com Tatum ao comando, fecharam na frente o primeiro parcial (28-27).

O segundo período também foi equilibrado, mas, depois de uma desvantagem de três pontos (39-42), os Celtics acabaram melhor e atingiram o intervalo na liderança (54-49).

Como aconteceu nos três primeiros jogos (38-24, 35-14 e 33-25), os Warriors voltaram, no entanto, a ser melhores no terceiro período, desta vez ‘rebocados’ por Curry, que fechou com 33 pontos, incluindo o ‘triplo’ que selou o 78-79.

O derradeiro quarto também começou com sucessivas igualdades (81-81, 84-84, 86-86), até os Celtics ganharem um avanço de cinco pontos (91-86), com 7.32 minutos para jogar.

A formação da casa parecia lançada para o 3-1, mas Thompson e Wiggins viraram o jogo (94-95) e, depois, Curry sentenciou a vitória dos Warriors, que serão anfitriões do quinto jogo, marcado para segunda-feira. O sexto é em Boston, na quinta-feira.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.