O antigo pugilista norte-americano Leon Spinks, que em 1978 derrotou Muhammad Ali na luta pelo título mundial de pesos pesados, morreu na sexta-feira, aos 67 anos, anunciou hoje a sua assessoria.

Spinks, que sofreu de cancro da próstata e outros tumores, conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos Montreal19676, na categoria de peso-leve, e tinha disputado apenas oito combates quando enfrentou Ali, em 15 de fevereiro de 1978, em Las Vegas.

Sem nunca ter passado dos 10 assaltos, Spinks enfrentou o campeão, então com 36 anos e no ocaso da sua carreira, batendo-o em 15 assaltos, tornando-se no único pugilista a ‘roubar’ um título a Ali.

Então, Spinks converteu-se em campeão do mundo de pesos pesados, proferindo a emblemática frase: “Não sou o maior. Sou o último”.

Seguiram-se várias polémicas, com a retirada deste título, pelo Conselho Mundial do Boxe, por se recusar a defendê-lo frente a Norton, preferindo um novo combate com Ali, que recuperou o cinturão da Associação Mundial de Boxe, após decisão unânime, sete meses depois do primeiro embate, e naquela que seria a última da sua vitória.

Spinks voltaria a disputar o título de pesos pesados, em junho de 1981, mas foi derrotado por ‘KO’ frente a Larry Holmes, descendo de categoria, tendo também perdido diante de Dwight Muhammad Qawi, por ‘KO’ técnico, em 1986.

Pôs um ponto final na carreira aos em 1995, aos 42 anos, após uma derrota frente a Fred Houpe, retirando-se com um registo de 26 vitórias, 14 das quais por ‘KO’, 17 derrotas e três empates.

Irmão de Michael Spinks e pai de Cory Spinks, ambos também campeões do mundo de pugilismo, ainda enveredou pela luta livre e pelas artes marciais mistas, antes de enfrentar vários problemas de saúde e financeiros.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.