O britânico Bradley Wiggins (Sky) admitiu esta sexta-feira que poderá não voltar a disputar a Volta a França em bicicleta, por não se sentir pronto a repetir os sacrifícios que lhe valeram a vitória em 2012.

«Ganhar o Tour era o objetivo. Consegui. Para ser honesto, penso que não estou pronto para fazer os mesmos sacrifícios do ano passado, com a minha família e tudo o que se seguiu», afirmou Wiggins, de 33 anos, em entrevista ao jornal britânico Guardian.

Campeão olímpico de contrarrelógio, Wiggins não voltou a correr desde que abandonou a Volta a Itália, a 17 de maio, e renunciou à defesa do título na Volta a França, que começa a 29 de junho. Hoje, a equipa Sky anunciou que o britânico regressa á competição na Volta à Polónia (27 de julho a 03 de agosto) e fará a Volta á Grã-Bretanha (15 a 22 de setembro), antes dos campeonatos do Mundo, em finais de Setembro, em Florença, onde visa o título de contrarrelógio.

Wiggins considera que o seu companheiro de equipa Chris Froome, segundo no Tour do ano passado e seu sucessor como líder da Sky na Grande Boucle, «parece estar para ficar por vários anos e para ganhar talvez vários Tours».

«A seleção fez-se naturalmente este ano, entre os seus desempenhos e os meus. Ele merece ser o líder da equipa e, se ganhar o Tour, continuará assim no próximo ano. Vivo bem com isso», acrescentou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.