Os ciclistas austríacos Stefan Denifl e Georg Preidler foram suspensos por quatro anos, por envolvimento num esquema internacional de doping sanguíneo, anunciou hoje a agência antidopagem daquele país europeu.

Os ciclistas, que estiveram na equipa de estrada da Áustria nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, estarão implicados no caso Aderlass e foram agora suspensos definitivamente, depois de terem sido alvo de uma suspensão provisória em março por parte da União Ciclista Internacional.

De acordo com o organismo austríaco, Denifl terá recorrido a doping sanguíneo, pelo menos, entre junho de 2014 e o final de 2018 e Preidler entre fevereiro e dezembro de 2018.

Ambos, que admitiram o recurso a doping, têm um prazo de quatro semanas para apresentarem recurso das suspensões.

No alegado esquema está também envolvido um médico alemão, que trabalhava com o ciclismo profissional e é acusado de ter fornecido serviços de doping sanguíneo para atletas em variados desportos.

O esquema levou a polícia a efetuar buscas no decorrer dos campeonatos do mundo de esqui, na Áustria, e ao consultório médico na Alemanha.

Além de terem sido detidos cinco esquiadores de ‘cross country’, Denifl e Preidler foram os primeiros ciclistas apanhados no esquema.

Mais seis ciclistas, incluindo o italiano Alessandro Petacchi, foram também ligados à rede.

De acordo com um procurador alemão e, em articulação com as autoridades austríacas, o caso envolve até ao momento 21 atletas de cinco modalidades.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.