A notícia do controle antidoping positivo a Chris Froome está a marcar a atualidade desportiva internacional. O ciclista britânico acusou salbutamol, uma substância utilizada para o tratamento da asma e utilizada por desportistas, entre os quais ciclistas. Frome tinha uma concentração de 2.000 nanogramas por mililitro de salbutamol na urina, o dobro do autorizado pela AMA. A análise à urina de Chris Froome foi realizada a 07 de setembro, após a 18.ª etapa da Volta a Espanha.

Este caso apanhou de surpresa o mundo do ciclismo já que estamos perante um atleta que sempre lutou contra o doping na modalidade. O jornal francês ´L´Equipe` recordou algumas declarações do corredor da Sky sobre o doping nos últimos anos.

Doping é uma missão pessoal:

"Os meus êxitos são 100 por cento limpos. Sei que este desporto mudou. Não podia obter estes meus resultados de outra forma. Sei que o que consegui ganhar não irá desaparecer em dez ou 20 anos. Para mim, é um algo pessoal mostrar que as coisas mudaram."

Armstrong era um batoteiro

"Acusam-me de ser batoteiro e mentiroso, mas não é verdade. Lance [Armstrong] fez batota, mas eu não. Ponto final."

Acabou-se o ´Velho Oeste` no Ciclismo

"O ciclismo já não é o ´Velho Oeste` que era há dez ou 15 anos. Este desporto já não é o mesmo. Ainda há quem tente arriscar [usar doping], há 15 anos era toda a gente. Não há razão para manter as mesmas suspeições que antigamente."

Traição a Camisola Amarela

"Toda a gente conhece os bons e os maus na história do ´Camisola Amarela` [da Volta a França]. Eu nunca irei desiludir-vos."

Sem lugar para batoteiros

"Creio que a primeira suspensão [por doping], de dois anos, devia ser mais dura. Deve ser muito mais claro para todos que se violares as regras e fizeres batota, não haverá lugar para ti."

Sem nada a temer ou esconder

"Se tivesse algo a esconder ou alguma estratégia elaborada [para fugir aos controles], ficaria muito perturbado, o meu mundo desabaria. Mas não tenho segredos, não tenho mesmo nada a temer.”

Seu nome em lista de doping autorizado

"Já me tinha pronunciado publicamente sobre o uso de medicamentos. Não há qualquer problema com estas revelações [do Fancy Bears, grupo de hackers russos que divulgaram nomes de ciclistas que usam doping para fins terapêuticos] que confirmam as minhas declarações. Em nove anos no circuito profissional, só recorri a estes medicamentos autorizados para uso da asma em duas ocasiões, a última em 2004."

A análise à urina de Chris Froome realizada em 07 de setembro, após a 18.ª etapa da Volta a Espanha, revelou uma concentração de 2.000 nanogramas por mililitro de salbutamol, substância presente num dos medicamentos mais utilizados no tratamento da asma, o dobro do autorizado pela AMA.

Sendo um estimulante do aparelho respiratório, o fármaco tem efeitos anabolizantes em doses elevadas, permitindo o aumento da massa muscular e a diminuição da gordura corporal.

O ciclista britânico Chris Froome, que sofre de asma, disse já que se limitou a seguir “os conselhos do médico da equipa para aumentar” a dose de salbutamol, mas tomando sempre “as maiores precauções” para garantir que não excedia as doses permitidas.

Com este controlo adverso, confirmado pela contra-análise, Froome terá de provar “num estudo farmacocinético controlado que este resultado anormal é efetivamente consequência do uso de uma dose terapêutica [por inalação]”, esclarecem as regras antidopagem.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.