O ciclista português João Almeida (Deceuninck-Quick Step), que hoje assumiu a liderança da geral individual da Volta a Itália, confessou, após a terceira etapa, estar "sem palavras", mas "superfeliz".

Emocionado, o jovem das Caldas da Rainha explicou aos jornalistas que ainda não conseguia "acreditar" no que tinha acabado de fazer. "Estou superfeliz, sem palavras", atirou.

Sabia que tinha sido "muito perto", que tinha cortado a meta "com pouco mais de um minuto" para o vencedor da tirada, o equatoriano Jonathan Caicedo (Education First), passando depois o tempo de espera até ver confirmada a ‘maglia rosa' com "excitação".

Os dois têm o mesmo tempo, desempatando para o luso o tempo conseguido no contrarrelógio da primeira etapa, e João Almeida tornou-se assim no segundo português a liderar o Giro, conseguindo o feito no mesmo local onde Acácio da Silva, em 22 de maio de 1989, tinha ganho a rosa, que vestiu apenas por um dia.

Olhando para a frente, João Almeida define uma prioridade imediata: "descansar bem". Depois, afirmou, é "dar o melhor nos próximos dias", a começar pela defesa da camisola rosa já na quarta etapa, na terça-feira, entre Catânia e Villafranco Tirrena, num traçado de 140 quilómetros.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.