O ciclista italiano Fausto Masnada (Androni Giocattoli) venceu hoje isolado a sexta etapa da Volta a Itália, na qual o compatriota Valerio Conti (UAE-Emirates) conquistou a camisola rosa.

Amaro Antunes (CCC), o único português em prova, foi 10.º classificado, a 56 segundos do primeiro, subindo 38 posições até sexto da geral, a 2.45 minutos de Conti.

Conti, que se atrasou a 50 metros da meta e terminou a quatro segundos de Masnada, assumiu o comando da prova, num dia em que o anterior líder, o esloveno Primoz Roglic (Jumbo-Visma), sofreu uma queda.

Roglic não sofreu danos físicos, mas a sua equipa também não se revelou muito interessada em defender o comando, uma vez que ainda faltam muitas etapas e terá optado por se resguardar.

Os 238 quilómetros que ligaram Cassino a San Giovanni Rotondo foram cumpridos por Masnada em 5:45.01 horas.

“É incrível, não esperava vencer a etapa. Já tínhamos tentado várias vezes, mas hoje foi possível entrar numa fuga. Foi uma etapa difícil. Houve acordo entre todos para puxar. Sabia que no grupo da fuga não ganharia o sprint, por isso ataquei. Estou muito feliz”, disse Masnada, de 25 anos e que tinha vencido recentemente duas tiradas no Tour dos Alpes.

Conti, que à partida era 27.º da geral, tem agora mais de cinco minutos de vantagem para o grupo dos tradicionais favoritos.

“Envergar a camisola rosa é um sonho que se realiza. Entre pensar e fazer vai uma grande distância e hoje foi tudo perfeito. Sei que é difícil mantê-la até ao fim, mas já é uma alegria imensa vestir este símbolo. Quero manter a liderança o mais tempo possível”, congratulou-se Conti.

Na sexta-feira, a sétima etapa do Giro liga Vasto a L’Aquila, na distância de 185 quilómetros, destacando-se uma contagem de montanha de segunda categoria, ao quilómetro 137.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.