A Katusha arrisca uma suspensão de toda a atividade entre 15 e 45 dias, depois de hoje a União Ciclista ter anunciado o positivo de Eduard Vorganov, o segundo caso de doping na equipa russa em 12 meses.

O ciclista russo deu positivo por meldonium, uma substância inserida dentro das “Hormonas e moduladores metabólicos” e que passou a fazer parte da lista de substâncias proibidas desde 01 de janeiro, acusando a mesma num controlo fora de competição, realizado a 14 de janeiro.

Em comunicado, a UCI informa que Vorganov está suspenso preventivamente, podendo pedir a contra-análise da amostra B, e recorda que este é o segundo caso de doping registado na Katusha num período de 12 meses, depois do positivo por cocaína do italiano Luca Paolini, num controlo efetuado durante a Volta a França, a 07 de julho de 2015.

De acordo com o artigo 7.12.1 do código antidopagem da entidade que tutela o ciclismo mundial, “se dois ciclistas e/ou pessoas de uma equipa registada na UCI forem notificados num período de 12 meses de um controlo adverso por um método ou substância proibidos […], a equipa deve ser suspensa da participação em qualquer evento internacional num período a determinar pelo presidente do comité de disciplina da UCI”.

O artigo especifica que a suspensão não deve ser inferior a 15 dias nem superior a 45.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.