As más condições climatéricas na região dos Dolomitas levaram a organização da Volta a Itália em bicicleta a reduzir a 16.ª etapa de hoje a 155 quilómetros, retirando ainda as duas subidas mais exigentes.

A etapa, originalmente programada para ter 212 quilómetros, terá agora 155 e continua a terminar em Cortina d’Ampezzo, com uma descida de 17 quilómetros, após a subida ao Passo Giau, de primeira categoria, e novo 'cima coppi', ou seja, ponto mais alto do Giro em cada edição.

O Passo Pordoi, que era a referência máxima em altitude, foi retirado, assim como o Passo Fedaia, devido à previsão de chuva e neve para os cumes, deixando a etapa rainha da 104.ª edição sem duas das principais subidas.

“O nosso principal objetivo é que os ciclistas cheguem em segurança a Milão [na última etapa, no domingo]. As condições climatéricas são boas agora, mas não saberemos mais tarde. Vimos flocos de neve misturados com água... queríamos uma etapa curta, mas intensa, em vez de uma que não fosse tão bonita”, explicou o diretor da prova, Mauro Vegni, à cadeia televisiva Rai.

A decisão foi tomada após conversas entre organização e ciclistas, na partida, em Sacile. O líder da corrida é o colombiano Egan Bernal (INEOS).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.