O italiano Vincenzo Nibali (Bahrein-Merida) venceu hoje pela segunda vez a Volta à Lombardia, impondo-se ao francês Julian Alaphilippe (Quick-Step Floors) no final dos 247 quilómetros da última clássica da temporada, em Como.

O vencedor do Tour, em 2014, e da Vuelta, em 2010, e bicampeão do Giro, em 2013 e 2016, reconquistou a prova, que partiu de Bérgamo, em 06:15.29 horas, gastando menos 28 segundos do que Alaphilippe, que já tinha sido segundo na Liège-Bastogne-Liège de 2015 e terceiro da Milão-Sanremo deste ano.

Nibali, que já tinha vencido a clássica lombarda em 2015, atacou a 17 quilómetros da meta, destacando-se de Alaphilippe e do primeiro grupo perseguidor, encabeçado pelo seu compatriota Gianni Moscon (Sky), que terminou na terceira posição, a 38 segundos.

Antes, na descida para Como, a cerca de 40 quilómetros da chegada, quando o francês Mikaël Chérel (AG2R) seguia na dianteira, o belga Laurens De Plus (Quick-Step Floors) sofreu uma queda aparatosa, caindo numa ravina após transpor os rails de segurança. O corredor foi transportado para um hospital mas, segundo a sua equipa, não sofreu ferimentos graves.

Rui Costa (UAE Team Emirates) foi o 54.º a cruzar a meta, 11.05 minutos depois de Nibali, e Nuno Bico (Movistar) o 98.º, a 21.25 do vencedor, enquanto José Gonçalves (Katusha-Alpecin) não terminou este ‘monumento’.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.