As obras para a concretização dos 76 percursos cicláveis inseridos nos oito centros ‘Cycling Portugal’ do Alentejo e Ribatejo arrancaram esta semana, disse hoje à agência Lusa o presidente da Entidade Regional de Turismo (ERT).

As pré-auditorias da Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) decorrem até ao final deste mês, mas a inauguração das primeiras estações de serviço deve acontecer “a partir de 15 ou 16 de julho”, sendo que ao longo do verão ficarão concluídos os primeiros sete de 11 postos de apoio previstos, explicou António Ceia da Silva.

Beirã (Marvão), Reguengo (Portalegre), Barragem de Póvoa e Meadas (Castelo de Vide), Freixo Serra D’Ossa (Redondo), Ourique e Arronches são algumas das estações que serão “efetivadas a curto prazo”, numa operação piloto com o apoio do Turismo de Portugal que ficará concluída até ao final do ano.

No final dos trabalhos, o projeto ‘Cycling Alentejo e Ribatejo’ contará com 3.105 quilómetros de percursos, dos quais 1.369 de BTT (Bicicleta Todo-o-Terreno), 931 de estrada e 805 de gravel (caminhos não pavimentados).

A rede estará estruturada em quatro polos fundamentais (Ribatejo, São Mamede, Serra D’Ossa e Baixo Alentejo) em pareceria com os municípios de Coruche, Chamusca, Arronches, Castelo de Vide, Marvão, Portalegre, Borba, Estremoz, Redondo, Almodôvar e Ourique.

Esta rede vai somar-se aos centros 'Cycling Portugal' de Odemira - Rota Vicentina e de Serpa, alargando a oferta da região para perto de 4.000 quilómetros de percursos cicláveis.

A meta desta operação supramunicipal é dar resposta à “procura crescente do mercado nacional e internacional pelos percursos de 'cycling'”, dotando o território de uma rede homologada que permitirá aos utilizadores “conhecer os vastos recursos naturais, culturais e etnográficos” existentes com “segurança e todas as infraestruturas de apoio necessárias”, explica um comunicado da ERT do Alentejo e Ribatejo.

“É impossível saber o número de ciclistas que procuram a região anualmente, mas são cada vez mais”, referiu António Ceia da Silva, nas declarações à Lusa.

A homologação de percursos cicláveis em todo o país, ao abrigo do projeto 'Cycling Portugal', insere-se numa estratégia de "afirmação de Portugal como destino para a prática de turismo com bicicleta", de acordo com o vice-presidente da FPC, Sandro Araújo, citado num comunicado emitido em maio, aquando do lançamento do processo de pré-homologação.

O desenvolvimento de uma rede de percursos cicláveis homologados pela FPC pretende, ainda, de acordo com a página do projeto 'Cycling Portugal' na internet, facilitar a "regulamentação e orientação da prática da modalidade na natureza e em áreas protegidas".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.