O primeiro controlo inopinado, com recurso a uma câmara térmica, para deteção de eventuais motores nas bicicletas teve hoje lugar no Col d’Aspin, na parte final da sétima etapa da Volta a França.

“Este controlo foi totalmente negativo. Haverá outros, sem que saibamos o momento ou o lugar”, revelou o secretário de Estado francês do desporto, Thierry Braillard, à AFP.

Antes do arranque da Volta a França, o governo francês anunciou, em concordância com a União Ciclista Internacional (UCI), que iria recorrer a câmaras de alta definição, preparadas pelo centro de investigação da Comissão de Energia Atómica (CEA), para detetar eventuais motores nas bicicletas.

“Queremos dissipar qualquer clima de suspeição e lutar contra uma eventual fraude tecnológica. Este é verdadeiramente o primeiro controlo inopinado com uma câmara térmica. Ninguém a viu, ninguém soube. Penso que esta é uma forma de dissuasão e que assim poderemos dizer ao público: Tudo foi feito para que os vencedores, de etapas e do Tour, sejam grandes vencedores”, concluiu Thierry Braillard.

A câmara térmica de alta tecnologia da CEA foi utilizada a título experimental durante os recentes campeonatos franceses de ciclismo de estrada.

O primeiro caso de fraude tecnológica foi detetado em janeiro deste ano, na bicicleta da jovem belga Femke van den Driessche, nos mundiais de ciclocrosse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.