Os ciclistas Chris Froome (Sky), Vincenzo Nibali (Astana) e Nairo Quintana (Movistar), candidatos à vitória na Volta a França, saíram com pequenas lesões da queda na sexta etapa, que provocou o abandono do líder Tony Martin (Etixx-Quickstep).

“Fiquei com um golpe no joelho, tinha um pouco de sangue, mas nada mais. Estou bem. Só tive de esperar na berma da estrada, porque fiquei sem roda traseira e não podia continuar”, explicou Froome, novo camisola amarela depois da desistência de Martin com uma clavícula partida.

Pior ficou Vincenzo Nibali, o vencedor em título, que, furioso, no final da etapa, acusou o britânico da Sky de ser o responsável pelo seu azar. O incidente 'diplomático' entre os últimos dois vencedores da Volta a França foi sanado quando Froome se deslocou ao autocarro da Astana para falar com o italiano, que, após ver as imagens televisivas, percebeu que tinha sido injusto e pediu desculpa.

“Caí e não consigo compreender porquê. Não sei o que se passou. Estou dolorido na perna e nas costas. Saí com muitas arranhadelas. A anca dói-me, nunca é agradável ter corredores a cair em cima de nós”, lamentou o chefe de fila da Astana, o primeiro a ser apanhado por Tony Martin, o ciclista que, inadvertidamente, provocou a queda.

Também Nairo Quintana saiu com lesões superficiais, mas mostrou-se preocupado com o cotovelo.

“Estou bem, espero que não seja nada, a quente nem sinto dor. Tenho de esperar por amanhã”, disse o colombiano da Movistar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.