Dia agridoce para o ciclismo português: no dia em que João Almeida disse adeus à camisola rosa, o Stelvio deu virtualmente a camisola azul a Rúben Guerreiro.

Depois do dia de hoje, em que o ciclista português, que já tinha vencido a nona etapa, somou 36 pontos, sobram 98 pontos que um ciclista pode somar até domingo, em Milão, e todos apenas no sábado, com duas subidas de primeira categoria (40 pontos cada) e uma de segunda (18).

O Cowboy de Pegões lidera a classificação da montanha com 234 pontos, mais 112 pontos que Thomas de Gendt, segundo classificado, pelo que Guerreiro já assegurou matematicamente a liderança da classificação da camisola azul, num feito inédito para Portugal em classificações secundárias de voltas a Itália, França e Espanha.

Além os pontos conquistados na etapa desta quinta-feira, Guerreiro acabou por beneficiar ainda da desistência de Giovani Visconti que estava no segundo lugar a apenas 50 pontos de distância do português.

Visconti já tinha ‘roubado' a camisola ao português de Pegões, no concelho do Montijo, mas o luso conseguiu reavê-la e, hoje, confirmou a azul até ao final, num dia em que João Almeida (Deceuninck-QuickStep) perdeu a camisola rosa e a camisola branca, da juventude.

Hoje, o homem da Education First cortou a meta em 36.º lugar após integrar a fuga do dia, aproveitando o resultado para subir seis posições na geral, para o 37.º posto.

Assim, basta Guerreiro cruzar a linha de meta no próximo domingo em Milão para tornar-se no primeiro português a vencer a classificação da montanha e a regressar a casa com a 'maglia azzura' vestida.

*Artigo atualizado às 17h14

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.