A Arkéa-Samsic, que participou na Volta a França, confirmou hoje que um número “muito reduzido de ciclistas” foi alvo de buscas no hotel por suspeitas de doping, que não eram dirigidas diretamente à equipa ou ao corpo técnico.

“A equipa, o seu diretor e o seu corpo técnico, atualmente citados nos meios de comunicação, não estão implicados e, como tal, não estão informados de qualquer elemento relacionado com o desenvolvimento da investigação, que não está virada para a equipa ou corpo técnico de forma direta”, vincou o diretor Emmanuel Hubert.

A procuradoria de Marselha abriu a investigação após a "descoberta de vários produtos de saúde, incluindo drogas (...) e especialmente de um método que pode ser qualificado como doping" em buscas realizadas em 16 de setembro.

Segundo os ‘media’ franceses, a investigação, divulgada hoje, foi aberta por suspeitas de “administração e prescrição a atleta de substâncias ou métodos proibidos, sem justificação médica”, bem como por “transporte de produtos proibidos”.

As autoridades marselhesas descobriram “vários dispositivos médicos, incluindo medicamentos e um método que pode ser descrito como doping”.

Na volta a França, a equipa francesa do escalão ProTour colocou Warren Barguil no 14.º lugar final e o colombiano Nairo Quintana, alegadamente o principal suspeito, no 17.º.

Segundo o semanário Le Journal du Dimanche, a polícia investigou na quarta-feira o quarto de Quintana e do seu irmão Dayer, o do compatriota Winner Anacona, bem como o dos massagistas e alguns veículos.

Já o diário Le Parisien acrescenta que foi detido um dos médicos da equipa, bem como o fisioterapeuta espanhol de Nairo Quintana.

“Obviamente apoiamos os nossos corredores, mas se após a investigação houvesse elementos que comprovassem as práticas de doping, a equipa iria desassociar-se imediatamente de tais atos”, frisou o diretor da formação francesa.

Hubert acrescentou que a Arkéa-Samsic rescindiria logo os contratos com quem tivesse usado “métodos inaceitáveis e que sempre foram combatidos”.

O dirigente recordou que nos últimos 20 anos a equipa sempre mostrou “o seu compromisso com a ética e sempre se posicionou a favor da luta contra o doping”.

A Volta a França terminou domingo com a vitória do esloveno Tadej Pogacar (UAE Emirates), mais de 31 minutos à frente de Quintana, o líder da Arkéa-Samsic e que sofreu três quedas na prova.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.