O ciclista esloveno Tadej Pogacar (UAE Emirates) inicia hoje a defesa dos títulos conquistados nas últimas duas edições da Volta a França, no contrarrelógio que marca o arranque da 109.ª edição, em Copenhaga.

Os 176 corredores inscritos, entre os quais estão dois portugueses, Nelson Oliveira (Movistar) e Ruben Guerreiro (EF Education-Easy Post), vão dar hoje as primeiras pedaladas num exercício individual contra o cronómetro de 13,2 quilómetros, na primeira de três etapas disputadas em solo dinamarquês, antes da transferência para França, na segunda-feira.

Na sua terceira presença no Tour, Tadej Pogacar, que parte com o dorsal número um, vai procurar, aos 23 anos, conquistar o terceiro triunfo consecutivo na maior corrida velocipédica mundial, tendo como grandes rivais o compatriota Primoz Roglic, segundo em 2020, e o seu ‘vice’ no ano passado, o dinamarquês Jonas Vinegaard, os líderes da Jumbo-Visma.

O jovem esloveno é o incontestável favorito, numa lista de candidatos que inclui ainda os homens da INEOS, nomeadamente o galês Geraint Thomas, campeão em 2018, e o colombiano Daniel Martínez, mas também Aleksandr Vlasov (BORA-hansgrohe), a competir sob bandeira neutra devido à invasão russa da Ucrânia, o australiano Ben O’Connor (AG2R Citroën), quarto em 2021, ou o espanhol Enric Mas (Movistar), sexto no ano passado e quinto no anterior.

A 109.ª edição, 'ameaçada' pela recente vaga de casos de covid-19 no pelotão, vai percorrer 3.349,8 quilómetros entre Copenhaga e Paris, entre hoje e 24 de julho, com o percurso a incluir sete etapas de terreno acidentado, seis planas, seis de montanha e dois contrarrelógios individuais e a ter como 'aliciantes' a presença do 'pavé', na quinta tirada, e o regresso do mítico Alpe D'Huez.

Entre as ‘estrelas’ deste Tour destacam-se o belga Wout van Aert (Jumbo-Visma), o neerlandês Mathieu van der Poel (Alpecin-Fenix) e o britânico Thomas Pidcock (INEOS), três grandes nomes com ‘raízes’ no ciclocrosse, o ‘sprinter’ neerlandês Fabio Jakobsen (Quick-Step Alpha Vinyl), candidatos à camisola verde, ou o contrarrelogista Filippo Ganna (INEOS).

Julian Alaphilippe, o favorito dos franceses, e o britânico Mark Cavendish, que detém em igualdade com Eddy Merckx o recorde de vitórias em etapas na ‘Grande Boucle’ (34), são os dois principais ausentes, ao terem ficado de fora da seleção da Quick-Step Alpha Vinyl, enquanto o campeão de 2019, o colombiano Egan Bernal (INEOS), ainda está a recuperar da queda grave que sofreu no início do ano.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.