O holandês Mathieu van der Poel assumiu hoje que gostaria de vestir a camisola amarela na Volta a França, algo nunca alcançado pelo seu avô, Raymond Poulidor, o ciclista com mais presenças no pódio final do prova francesa.

“Seria agradável vestir a amarela uma vez na vida. Se não for este ano, haverá outras ocasiões”, estimou o talentoso holandês, que aos 26 anos se prepara para a estreia no Tour.

Um dia depois de prestar homenagem, juntamente com os colegas da Alpecin-Fenix, ao seu avô, ao vestir, na apresentação da 108.ª edição, uma camisola amarela e roxa, inspirada nas cores usadas por Raymond Poulidor durante toda a sua carreira na antiga equipa Team Mercier, Van der Poel reconheceu que as primeiras etapas deste Tour representam “uma boa oportunidade” para lutar pela amarela.

“Tenho a impressão que as pessoas se esquecem que este é o meu primeiro Tour. Claro que tentarei ganhar, mas há muitos outros corredores que também estão concentrados nas duas primeiras etapas”, notou, referindo-se às duas tiradas iniciais na Bretanha, com subidas curtas e explosivas, ‘talhadas’ para as suas características.

A presença do holandês na ‘Grande Boucle’ tem causado grande expectativa, sobretudo pela ‘pesada’ herança de ‘Poupou’, figura mítica do ciclismo francês – a sua fama de eterno segundo e a presença por oito vezes no pódio final, sem nunca ter vestido a amarela, valeram-lhe uma enorme popularidade entre os adeptos -, mas ‘VDP’ garante não “sentir mais pressão do que antes de uma clássica”.

Vencedor da Amstel Gold Race (2019), da Volta a Flandres (2020) e da Strade Bianche (2021), Van der Poel é o nome mais sonante entre o ‘oito’ da Alpecin-Fenix na Volta a França, mas ainda assim a sua presença até ao final da prova, que termina em 18 de julho, em Paris, é incerta.

“Neste momento, não tenho intenção de desistir [no decorrer do Tour]. Ainda não decidimos nada, quero ver até onde posso chegar”, admitiu.

O holandês tem como principal objetivo para esta temporada o ouro no XCO (cross-country olímpico) em Tóquio2020 e, por isso, não sabe “em quantas etapas irá alinhar” nesta Volta a França.

“Mas seria simpático acabar o meu primeiro Tour”, concluiu.

A 108.ª Volta a França arranca no sábado em Brest, e termina em 18 de julho, em Paris, dias antes do início dos Jogos Olímpicos, que decorrem entre 23 de julho e 08 de agosto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.