O diretor desportivo da Movistar confirmou hoje que o espanhol Alejandro Valverde vai ser o chefe de fila na edição de 2013 da Volta a França em bicicleta, apesar de confiar num bom desempenho do português Rui Costa.

«A ideia inicial é lutar pelo pódio com o Alejandro [Valverde]. Essa é a sua grande ambição para este ano e temos planificado toda a temporada para chegar em condições. O último teste foi nos campeonatos de Espanha, que demonstraram que conseguimos e que está perfeito», afirmou Eusebio Unzué, em declarações reproduzidas no sítio oficial da equipa na Internet.

A formação da telefónica espanhola confirmou os seus nove corredores para a 100.ª edição da Volta a França, entre os quais o português Rui Costa, que se sagrou na sexta-feira campeão nacional de contrarrelógio, depois de ter reconquistado a Volta à Suíça.

«Temos um Rui Costa que vemos como está a progredir, que continua a ser jovem, mas já tem imensa experiência e não se pode descartar nada com ele. Acredito que vai fazer um grande Tour e quem sabe se não está já preparado para dar o grande salto», referiu Unzué.

O responsável técnico pela Movistar revelou a sua apreensão com a primeira semana da “Grande Boucle”, na qual «devido ao nível de stress todos os anos um favorito tem ficado pelo caminho», tendo excluído o colombiano Nairo Quintana da lista de candidatos a um dos primeiros lugares na classificação geral.

«Temos de ter paciência com o Naior, percebo que se geraram expetativas enormes, porque fez coisas espetaculares, mas creio que ainda não está preparador para que lhe coloquemos sobre os ombros a responsabilidade de lutar pela geral no Tour. A filosofia desta equipa tem sido sempre de que os jovens cresçam na sombra de outro líder e, até agora, temos tido a felicidade de acertar», referiu o técnico, reconhecendo que será um «grande desafio para Nairo correr ao lado de Valverde».

Além de Costa, Valverde e Quintana, o diretor desportivo da Movistar chamou ainda Rubén Plaza, que correu no Benfica, Andrey Amador, Jonathan Castroviejo, Imanol Erviti, Iván Gutiérrez e José Joaquín Rojas, para uma corrida em que, segundo Unzué, o vencedor só vai ser encontrado na última semana.

«Tudo vai ficar decidido na terceira semana. Será fulcral chegar com reservas porque não pode haver desperdício em quatro etapas e um contrarrelógio, que vai ser muito exigente. Se nos guiarmos pelos resultados, não há dúvida de que [Cris] Froome está acima dos restantes potenciais favoritos. Mas, por respeito histórico e pela forma como têm trabalhado, creio que [Joaquin] ‘Purito’ [Rodriguez], Alejandro e [Alberto] Contador são alternativas, tal como [Cadel] Evans», explicou o técnico, acrescentando ainda os nomes de Jurgen Van den Broeck e de Tejay van Garderen.

A 100.ª edição da Volta a França começa no sábado, na Córsega, e termina no próximo dia 21 de julho, nos Campos Elísios, em Paris.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.